Youtuber mostra os riscos de se usar cintas com nós na amarração das cargas

por Blog do Caminhoneiro

O Youtuber Fireball Tool tem mais de 360 mil inscritos em seu canal do Youtube, e publica diversos vídeos. Após realizar um vídeo mostrando que o uso da cinta de carga torcida reduz sua vibração com o vento, e que pode reduzir danos à carga, ele recebeu diversos comentários sobre a redução da eficiência da amarração da carga por torcer o equipamento.

Por isso, ele decidiu fazer um novo vídeo, realizando testes com cintas de amarração com capacidade para 1.512 kg, com uma resistência de ruptura de 4.536 kg. Para realização do vídeo, as cintas foram fixadas em uma mesa, e forçadas ao extremo com um pistão hidráulico. Tudo foi medido e filmado em vários ângulos.

Todo o processo foi registrado em vídeo pelo youtuber. Para iniciar o teste, um cinta foi instalada corretamente, e a força total de instalação foi de 655 kg de força de tração, suficiente para prender uma carga com segurança sobre a carroceria do caminhão.

A cinta que foi instalada corretamente arrebentou com 4.279 kg de força. Após o primeiro teste, outros foram realizados, com a cinta enrolada uma vez, quatro vezes, com um nó e também molhadas.

Essa segunda cinta, enrolada apenas uma vez, acabou resistindo mais que a anterior, suportando 4.375 kg de força sobre ela. A cinta que recebeu quatro voltas teve sua eficiência reduzida para 4.205 kg. Quando enrolada dez vezes, a resistência da cinta caiu para 3.492 kg.

Com um nó a situação fica crítica. Com a pressão sobre o ponto do nó, a cinta chega a derreter ao arrebentar, suportando apenas 1.630 kg. Isso equivale a menos da metade da capacidade original de resistência a ruptura da cinta, o que pode ser muito perigoso.

A cinta molhada, instalada corretamente, sem nenhuma volta ou nó, suportou 4.013 kg até arrebentar, praticamente não apresentando risco de acidente por ser usada na chuva.

O vídeo é extremamente importante para destacar o risco de utilizar nós em cintas, principalmente aquelas cortadas ou arrebentadas. Nesses casos, o risco pode ser enorme. O melhor sempre é usar as cintas em perfeitas condições, e substituí-las assim que aparecer qualquer dano que possa comprometer a segurança.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe um comentário sobre o tema!