Wärtsilä 14RT-flex96C – O maior motor a diesel do mundo tem quase 110 mil cavalos de potência

por Blog do Caminhoneiro

Navios que transportam milhares de toneladas de cargas em cada viagem ao longo dos sete mares precisam de potência, muita potência. Para isso, a empresa Wärtsilä Corporation desenvolveu o motor 14RT-flex96C, um gigante absoluto, em todas as medidas.

O motor, sozinho, tem 13,5 metros de altura, com 27 metros de comprimento, e pesa inacreditáveis 2.300 toneladas. Esse motor foi apresentado em 2006, sendo instalado no então maior navio de transporte de contêineres do mundo, o Emma Maersky. Ele foi desenvolvido com base em motores produzidos desde 1998, que, na época tinham 12 cilindros.

Tudo nesse gigante é fora do comum. São 14 cilindros em linha, com cilindrada de 25.480 litros. Para efeitos de comparação, um Volvo FH 540 tem motor de seis cilindros com 13 litros. A potência máxima é de 108.878 cavalos, com de 7.603.841 Nm de torque, a 102 rotações por minuto, funcionando em ciclo dois tempos.

Cada pistão mede 6,6 metros de altura, com 960 mm de diâmetro, e pesando 5,5 toneladas, com curso de 2.500 mm. O sistema de injeção de combustível é do tipo Common Rail, e pode ser usado diesel ou óleo combustível pesado. O giro do motor é bastante lento, com marcha lenta a 96 RPM e rotação máxima de 120 RPM, com cada pistão subindo e descendo a cerca de 8,5 metros por segundo.

Cada cilindro tem 1.820 litros de cilindrada, queimando cerca de 160 gramas de combustível em cada ciclo do pistão e produzindo 7.777 cavalos de potência cada um. Ou seja, ele chega a consumir cerca de 16 toneladas de combustível por hora de funcionamento.

Para lubrificação, existem dois sistema diferentes, que usam óleos com especificações diferentes. Um sistema lubrifica os cilindros, enquanto outro sistema é responsável pela lubrificação da parte inferior do motor. Para dividir, existe um selo mecânico em baixo de cada pistão.

O virabrequim, na versão de 14 cilindros, pesa cerca de 300 toneladas. As bielas são articuladas, fazendo com que os pistões trabalhem sempre na posição vertical, o que evita desgaste nas paredes dos cilindros. Também, não existe um comando de válvulas. Todo o sistema das válvulas é comandado por um sistema hidráulico que é gerenciado eletronicamente.

Além da versão de 14 cilindros, a mais potente, a Wärtsilä oferece opções entre 6 e 14 cilindros, em qualquer quantidade. Na versão com 14 pistões, o motor é o maior e também o mais eficiente motor de combustão interna do mundo.

Turbo-compressor do 14RT-flex96C

Após a queima do combustível, a maior parte do calor produzido, que seria disperdiçada, é transformada em energia eletrica, graças a um eficiente sistema de recuperação de calor, com turbinas de vapor, aproveitando cerca de 12% da energia total consumida pelo motor, que seria disperdiçada.

Wartsila RT-flex96C em versão com menos cilindros

O preço de um motor deste tamanho não é divulgado publicamente, mas o valor deve ser bastante alto. Apesar disso, mais de 300 navios já são equipados com esse gigante, capaz de impulsionar navios com mais de 220 mil toneladas de peso total a cerca de 27 nós de velocidade máxima, ou 50 km/h.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!