Veículos elétricos tem quase 200 anos, só acabaram caindo no esquecimento

por Blog do Caminhoneiro

Atualmente, falamos praticamente toda semana de veículos elétricos aqui no Blog do Caminhoneiro. Nomes como Tesla Semi, Volkswagen e-Delivery ou os novos caminhões FNM elétricos são temas recorrentes, e muito atuais, já que, aos poucos, o diesel vai perdendo espaço para a eletricidade e outros combustíveis alternativos.

Mas não se engane. Apesar do uso da eletricidade em veículos estar em alta atualmente, o uso desse tipo de mobilidade remonta à 1828! É até algo difícil de imaginar, mas é verdade. E a imagem que abre a matéria mostra caminhões elétricos sendo recarregados, em uma estação de recarga, em 1917!

Naqueles anos, muitos cientistas pelo mundo estavam trabalhando com eletricidade, tentando aproveitar melhor a energia elétrica. Noticiado, o primeiro veículo movido com eletricidade foi construído por Ányos Jedlik, um sacerdote e físico da Hungria, que inventou um motor elétrico rudimentar e instalou em um pequeno veículo.

Entre os anos de 1832 e 1839, outro inventor, o escocês Robert Anderson, também desenvolveu uma carroça com motor elétrico, bastante rústica também. Já no ano de 1835, o professor Sibrandus Stratingh, da cidade de Groningen, na Holanda, e seu assistente Christopher Becker, da Alemanha, criaram o primeiro veículo elétrico colocado à venda, em pequena escala, que era movido por um sistema de pilhas que não eram recarregáveis.

Com o passar dos anos, motores elétricos começaram a se popularizar, na indústria, e também nos transportes, muitas vezes em locomotivas.

Para o uso de veículo elétricos mais eficientes, faltava algo que ainda hoje em dia é um impedimento para a produção de alguns modelos: Baterias mais eficientes. As primeiras baterias recarregáveis só surgiram em 1859, quando foram inventadas as baterias de chumbo-ácido, desenvolvidas pelo físico francês Gaston Planté .

Camille Alphonse Faure, outro cientista francês, melhorou muito o design da bateria em 1881, garantindo um aumento considerável da capacidade dessas baterias para armazenar energia, o que possibilitou sua fabricação em escala industrial.

O primeiro veículo elétrico prático foi testado em Paris pelo inventor Gustave Trouvé, no ano de 1881. Um motor elétrico desenvolvido pela Siemens foi aprimorado pelo inventor, e instalado em um triciclo James Starley, fabricado na Inglaterra. O motor era alimentado pelas novas baterias, mais eficientes. Como não conseguiu patentear a invenção, instalou o motor em um barco, criando o primeiro motor de popa removível do mundo.

No ano de 1884, começavam a sair de uma linha de montagem os primeiros carros elétricos feitos em série, na região de Wolverhampton, na Inglaterra, em um projeto do inventor inglês Thomas Parker. No ano de 1888, a França e o Reino Unido já apoiavam o amplo desenvolvimento de veículos elétricos.

No ano de 1899, um veículo elétrico quebrou o recorde mundial de velocidade, ao atingir 100 km/h. Esse elétrico em forma de foguete era pilotado por Jamais Contente. Ferdinand Porsche foi outro que desenvolveu veículos elétricos, com a criação do primeiro modelo equipado com um motor em cada roda.

Nas Américas, os primeiros veículos elétricos começaram a ser desenvolvidos na década de 1890, por William Morrison, de Des Moines, Iowa. Esse veículo inicialmente podia chegar a 23 km/h.

No começo dos anos 1900, os táxis elétricos eram muito populares na Europa e nos Estados Unidos. Esses veículos eram mais eficientes, menos barulhentos e vibravam menos que os modelos movidos com combustíveis convencionais da época, como gasolina ou vapor.

Como eram muito mais fáceis de operar, os veículos elétricos eram divulgados como perfeitos para as mulheres. Tanto que alguns modelos eram considerados “carros de mulher”, com as montadoras usando truques para disfarçar o sistema elétrico, como a instalação de uma grade de motor falsa na dianteira, para o veículo parecer ser movido a gasolina.

No início, ainda faltava eletricidade em muitos locais, o que também era um impedimento para o uso de veículos elétricos, mas logo, as principais cidades começaram a ser conectadas à rede elétrica.

Nos anos 1900, nos Estados Unidos, cerca de 38% da frota total de veículos era movida à eletricidade, com 33.842 unidades registradas no país naquela época. Até os anos 1910, mais de 300 montadoras fabricavam veículos elétricos nos EUA.

Para os caminhões elétricos, que consumiam mais energia, foi criado o primeiro sistema de bateria substituível, o que garantia mais disponibilidade e menor tempo de recarga. Os primeiros modelos do tipo eram vendidos pela General Vehicle Company, sem baterias, e o proprietário adquiria a energia da Hartford Electric, através de baterias substituíveis. Entre 1910 e 1924, esses veículos rodaram mais de 6 milhões de milhas nos Estados Unidos.

Porém, nos anos 1920, a popularidade do uso de eletricidade em veículos começou a diminuir. Motores a gasolina mais eficientes, novos combustíveis como o diesel, que tinham maior disponibilidade para abastecimento, permitindo rodar por muitos quilômetros, com o abastecimento sendo feito em poucos minutos, reduziram o interesse dos compradores nos elétricos.

Outro impedimento era o preço. Com a produção cada vez maior de veículos a gasolina, os preços estavam em queda, enquanto o valor médio dos veículos elétricos não parava de subir. Entre 1910 e 1920, a maioria das fabricantes de veículos elétricos já fechava as portas.

Apesar disso, eles nunca sumiram totalmente. Algumas montadoras seguiram produzindo pequenas quantidades de veículos elétricos até os anos 1960, quando as pesquisas com motores e baterias elétricas estavam mais avançadas.

Depois dos anos 2000, o assunto voltou a ser mencionado cada vez mais, e hoje estimasse que a venda de veículos elétricos, englobando automóveis, ônibus, e caminhões já passou da marca de 3 milhões de unidades em todo o mundo em 2020.

Ou seja, apesar de toda a inovação apresentada atualmente com os veículos elétricos e com outros combustíveis alternativos, as ideias iniciais tem bem mais de cem anos. Só estão sendo aprimoradas. E, futuramente, é provável que você tenha um veículo elétrico em sua garagem.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR DO NOSSO CANAL DO TELEGRAM