Novos caminhões elétricos da Volkswagen tem garantia de até 400 mil quilômetros

por Blog do Caminhoneiro

Afirmando a eficiência de seus caminhões elétricos e-Delivery, a Volkswagen criou pacotes especiais de garantia para os modelos, que variam conforme a versão, 11 ou 14 toneladas, e as especificação das baterias, além de outros detalhes da aquisição.

No pacote básico para os modelos de três ou seis baterias, o conjunto do veículo, powertrain e baterias têm garantia de um ano, ou até 100 mil km no pacote de três baterias e, de até 200 mil km para o pacote de seis baterias.

Já no pacote com o sistema RIO habilitado, a garantia das baterias vai para três anos ou até 150 mil km para veículos com pacotes de três baterias e de até 300 mil km para veículos com pacote de seis baterias. Nessa condição, o veículo ganha um ano adicional de garantia no powertrain.

O terceiro pacote com o sistema RIO habilitado mais a estrutura de carregadores dos parceiros homologados, faz a garantia das baterias passar para cinco anos, ou até 250 mil km para o pacote de três baterias e de até 400 mil km para o pacote de seis baterias. As garantias do veículo e do powertrain se mantêm em um e dois anos, respectivamente.

Além da ampla faixa de garantia, a montadora garante um fornecimento completo de peças e componentes eletrônicos que são exclusivos dos caminhões elétricos, na rede de concessionários da marca. Graças à tecnologia inovadora e robustez do trem de força, o caminhão elétrico proporciona aos clientes a otimização da sua manutenção, resultando em maior disponibilidade na operação.

Além das peças comuns com outros veículos da linha convencional, já amplamente disponíveis através da rede de concessionários, a Volkswagen Caminhões e Ônibus também investiu para garantir o pronto atendimento dos novos itens exclusivos do VW e-Delivery.

Com o treinamento e preparação da rede para o diagnóstico dos veículos e com a garantia de itens exclusivos da marca VWCO, o cliente VW e-Delivery tem maior segurança na manutenção do veículo e redução da complexidade dos principais componentes, diminuindo assim o custo de manutenção do caminhão.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!