CNTA não irá apoiar possível paralisação de caminhoneiros nos dia 1º de novembro

por Blog do Caminhoneiro

Insatisfação com os preços do diesel e valor baixo recebido pelos fretes estão mobilizando muitos caminhoneiros e entidades para uma paralisação em busca de melhores condições de trabalho.

Porém, apesar da movimentação divulgada nas redes sociais, diversa entidades representativas dos caminhoneiros estão dizendo que não irão apoiar ou se envolver na possível paralisação. Entre elas está a Confederação Nacional de Transportadores Autônomos (CNTA), uma das maiores do país, que representa mais de 80 sindicatos, abrangendo cerca de 1,2 milhão de profissionais das estradas.

Presidida por Diumar Deléo Cunha Bueno, a entidade publicou uma nota em que informa que os sindicatos representados por ela não irão aderir a esse movimento, que poderia trazer ainda mais impactos negativos à vida do caminhoneiro, principalmente do autônomo.

Veja a nota na íntegra:

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos – CNTA, em conjunto com seu sistema de sindicatos e federações, compartilha da insatisfação crescente da categoria devido à precariedade das condições de trabalho e principalmente dos valores praticados na contratação dos serviços de frete, que não acompanham os custos decorrentes da operação do transporte rodoviário de cargas.

Reféns de um sistema perverso que não permite mínimas condições de negociação e liberdade da sua contratação, acabam vítimas com uma fragilidade financeira resultante da desigualdade econômica entre contratantes e contratados, não conseguindo repassar os reajustes dos insumos necessários.

Diante deste cenário, a CNTA trabalha fortemente para que o foco da questão seja o valor do frete praticado pelos contratantes, com condições igualitárias para a categoria dos caminhoneiros autônomos. Atrelar a saúde da atividade ao valor do diesel, com soluções momentâneas, acarretam novas manifestações e ensejos de paralisação.

Desta forma, o trabalho da entidade é focado no desenvolvimento de medidas estruturais relevantes para o transportador autônomo de cargas (TAC), que possibilitem atenuar o desequilíbrio existente e pacificar o setor.

A CNTA dedica-se intensamente na viabilização da contratação direta dos caminhoneiros autônomos para que possam assumir o protagonismo e controle das suas atividades laborais e deixem de ser vítimas do sistema atual.

A CNTA informa ainda que não foi consultada sobre nenhum dos temas tido como pauta para eventual movimento de paralisação da categoria e que já vem trabalhando em diversos assuntos em conjunto com o governo e demais entidades relacionadas ao transporte rodoviário de cargas, na busca de benefícios para estes profissionais.

Por fim, informamos que em consulta à base representativa da categoria (sindicatos), não há adesão para qualquer movimento de paralisação ou greve e que uma paralisação neste momento impactaria negativamente ainda mais a vida do caminhoneiro autônomo, além de trazer reflexos nefastos para a sociedade e para a economia do país.

Com os caminhoneiros o Brasil avança!

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

2 comentários

Vinícius 31/10/2021 - 12:47

Essa CNTA não representa a categoria.

Reply
Francisco 30/10/2021 - 13:40

Bom dia todos irmaos. Olha eu ja vi colegas inteligentes ou. Ignorantes. , mas covardia é uma coisa que nao tinha visto ainda no meio dos caminhoneiros. Infelizmente as ideologias políticas conspiram para o caos. Devemos parar sim na segunda feira nem que seja por alguns dias…pra mostrar que estamos vivos ainda que respirando por aparelho. Esse governo ja mostrou que a classe autonoma tem que terminar só um burro que nao ve isso. Parem segunda pelo menos trm pra mostrar dignidade e nao covardia. Triste ver uma CNTA fugindo de seus objetivos para decretar de vez o fim da classe autonoma.

Reply

Deixe um comentário!