Caminhões Scania passam a ter novo sistema de nomenclatura

por Blog do Caminhoneiro

A Scania adota há mais de uma década um padrão de nomenclatura para seus modelos que traz uma letra e números, que atualmente se referem ao tipo de cabine e potência do motor. É o caso do Scania R 450, modelo mais vendido da montadora no Brasil, que destaca que a cabine é a R, voltada para o segmento rodoviário, e a potência de 450 cavalos, do motor de 13 litros.

No final de 2019, a montadora já havia alterado o padrão do nome para os modelos equipados com cabine S, no mundo inteiro. Em um processo com a Daimler, que venceu a Scania, a montadora sueca decidiu posicionar o tipo de cabine após a potência, ficando como Scania 540 S, com motor de 540 cavalos e 13 litros e cabine S, de piso plano.

A decisão afetou toda a linha de caminhões equipados com cabine S fabricados pela Scania no mundo, inclusive no Brasil. Essa mudança se deu ao processo da Daimler, dona da Mercedes-Benz, que vende há muitos anos os carros da linha S-Class, que tem modelos como o Mercedes-Benz S500, S560 ou S650, nomenclaturas que se assemelhavam com a nova linha Scania.

“Ao fazer esse ajuste, cumprimos um acordo que fizemos com a Daimler. Estamos interessados em proteger nossas marcas, e reconhecemos que a Daimler, com sua longa história com os modelo S-Class, teve um problema com o nome da nova Série S da Scania”, disse Alexander Vlaskamp, vice-presidente sênior da Scania Trucks na época da alteração.

Na última semana, com o lançamento da nova geração de motores de 13 litros, com potências entre 420 e 560 cavalos, a montadora também publicou fotos mostrando que os novos modelos passam a adotar o mesmo formato de nomenclatura da linha S atual, com a potência antes do tipo de cabine.

Essa alteração deverá se refletir em todos os modelos produzidos pela Scania, das linha L, P, G, e R, além dos modelos S, que já utilizam esse padrão desde 2019. Os modelos elétricos (foto acima) também já estavam usando o nome nesse novo formato.

A mudança no padrão é a primeira desde 2004, quando a montadora começou a designar seus modelos com esse formato de nome, que é usado no veículo e na documentação.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

1 comentário

Valter Gomes Ribeiro 19/11/2021 - 12:50

Bom dia o qui vai mudar só preço qui fica mais caro quêm trabalha não tem diferença nem uma eu trabalho 40 anos e não vejo o porquê e só marquit

Reply

Deixe um comentário!