Campo de provas da Volkswagen completa cinco anos

por Blog do Caminhoneiro

O campo de provas da Volkswagen Caminhões e Ônibus, que fica dentro da fábrica de Resende-RJ, é um dos grandes trunfos da marca para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias. De acordo com a marca, esse é o campo com a maior diversidade de obstáculos por metro quadrado, e é considerado o mais eficiente do continente em termos de aproveitamento do espaço e complexidade dos testes, com 35.500 metros quadrados de área, o equivalente a quatro campos de futebol.

Um quilômetro rodado no campo pode corresponder a 50 km nas estradas e, ao todo, são 26 condições diferentes de rodagem na pista da montadora.

Durante esses anos, o campo de provas se tornou palco de grandes certificações, como a da nova família Delivery, os extrapesados VW e, mais recentemente, o e-Delivery. No entanto, os benefícios alcançam não só a Volkswagen, mas também outras marcas do grupo. Além disso, o espaço também é utilizado para a realização de importantes eventos internos e externos.

Grandes números

Para poder suportar todas as condições de rodagem exigidas pelos caminhões, o campo de provas é construído com uma camada de 20 centímetros de concreto armado, com malhas de aço e fibras de polímero, que asseguram a robustez necessária para a continuidade das condições de todos os pavimentos especiais do campo de provas, no longo prazo.

Ao todo, foram movimentados mais de 3.300 caminhões de terra para a construção. De concreto, foram 250 veículos, além de outros 95 de asfalto. Todo o projeto segue normas internacionais para esse tipo de teste e certificação.

Diretrizes brasileiras de pavimentação foram adotadas como padrão para a construção do empreendimento, porém outras pistas do Grupo Volkswagen na Europa também serviram como referência, garantindo a equivalência entre os resultados obtidos.

Ao longo de toda a extensão do campo de provas, sistemas captam a água da chuva, com separação de outros elementos, para eliminar qualquer possibilidade de contaminação do solo e lençóis freáticos. A alta densidade de obstáculos por metro quadrado também contempla uma lógica ambiental: a duração mais curta dos testes por sua alta intensidade diminui as consequentes emissões geradas a partir das rodagens.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!