Kamaz quer contratar presidiários para dar conta da produção de caminhões

por Blog do Caminhoneiro

A demanda por caminhões novos tem impactado as montadoras de todo o mundo, de forma positiva. Depois da freada brusca causada pela pandemia, as vendas de caminhões tem subido bastante, e as montadoras precisam fabricar mais e mais veículos.

Não é diferente com a Kamaz, a maior montadora de caminhões da Rússia. Apesar de enfrentar a escassez de componentes para produção, as vendas da montadora também estão em alta, e a linha de produção atual não está dando conta da demanda.

Por isso, Sergei Kogogin, CEO da montadora, anunciou na última semana, a possibilidade de contratar presidiários para suas fábricas, a fim de operar com capacidade máxima.

O serviço penitenciário russo tem um programa nacional de trabalho para os detentos, por meio do qual a Kamaz quer realizar as contratações.

Atualmente, a montadora tem 24 mil trabalhadores na região de Naberezhnye Chelny, uma cidade industrial a mais de 900 quilômetros de Moscou, mas precisa de mais 4 mil.

A montadora já realizou contratações do Uzbequistão e de outros países da região, mas não conseguiu atingir o número ideal de operários. A falta de mão de obra na Rússia, em parte, se deve à migração dos mais jovens para outros países, principalmente da Europa, durante a pandemia.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!