Caminhoneiros autônomos poderão ter novas regras de recolhimento de contribuição previdenciária

por Blog do Caminhoneiro

Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados quer alterar o recolhimento da contribuição previdenciária dos caminhoneiro autônomos do país. De acordo com o texto do PL 2574/21, de autoria do Deputado Federal Jerônimo Goergen (PP-RS), esse recolhimento será feito diretamente pelas instituições de pagamento eletrônico de frete (IPEF) ou empresas autorizadas a emitir o Documento Eletrônico de Transporte (DT-e).

As PEFs são as empresas responsáveis por transferir para a conta do caminhoneiro autônomo o valor do frete contratado. Já o DT-e é o documento que unifica as informações relativas ao frete, incluindo dados da carga e o valor contratado junto ao caminhoneiro.

Atualmente, a contribuição previdenciária dos transportadores autônomos é recolhida pelo contratante do serviço. Para o deputado autor do projeto, a regra prejudica os caminhoneiros, que frequentemente se deparam com a ausência do repasse ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Como são milhares de transportadoras, o próprio INSS não tem capacidade para uma fiscalização sistemática”, disse Goergen.

Como saída, ele propõe que o desconto seja feito diretamente pelas operadoras de pagamento eletrônico de frete ou emissão do DT-e, que somam cerca de 20 em todo o País.

“Isso facilitaria o controle, aumentando a segurança do sistema, a eficácia, o ganho e, principalmente, a segurança do caminhoneiro autônomo. Além disso, também aumenta a segurança para o INSS, que receberá os valores que atualmente são sonegados”, disse.

O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Viação e Transportes; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Com informações da Agência Câmara de Notícias

Deixe um comentário!