Actros ganha personalização com dois volantes para treinamento de motoristas

por Blog do Caminhoneiro

Uma empresa da Áustria modificou um Mercedes-Benz Actros 1842 com cabine GigaSpace, para treinamento de motoristas. A Paul Nutzfahrzeuge é especializada na modificação de veículos comerciais, para diversas aplicações, e criou esse Actros com uma solução bastante diferenciada.

O caminhão recebeu uma segunda coluna de direção, além de pedais totalmente funcionais instalados para o passageiro, que, nesse caso, será um instrutor de motoristas. Com essa modificação, o instrutor poderá manter o controle sobre o caminhão, caso o aluno execute alguma manobra de forma incorreta.

Na Áustria, essa modificação é comum em caminhões de treinamento, como pode ser visto no vídeo abaixo.

De fábrica, a Iveco produz o Acco com dois volantes na Austrália

No final de março de 2019, a Iveco atualizou o caminhão Acco na região da Austrália. Equipado com nova cabine, o caminhão recebeu a nova identidade da marca, e deixou de usar a cabine do Fiat 190, a mesma desde a década de 1980. Esse caminhão é produzido exclusivamente em Melbourne, na Austrália, e atende operações variadas em toda àquela região.

A nova versão do caminhão é baseada no Stralis X-Way, e pode ser produzido como 6×4 ou 8×4, com suspensão metálica ou pneumática, com controle de tração e sistema de bloqueio de diferencial controlado pelo motorista.

Os motores são os Cursor 9, Euro 6, com potências entre 310 e 360 cavalos com torque entre 1.300 a 1.650 Nm. O câmbio é automático, fornecido pela Allison.

Mas uma das grandes curiosidades do caminhão é a possibilidade de compra com dois postos do motorista. Parece estranho à primeira vista, mas essa configuração serve especificamente para o mercado australiano, principalmente para coleta de lixo, onde o motorista precisa entrar e sair da cabine repetidamente.

Para agilizar a operação, ele pode sair por uma porta, entrar pela outra e começar a dirigir imediatamente, sem a necessidade de se movimentar dentro da cabine.

Todos os controles são duplicados dentro da cabine, o que faz parecer que o painel está espelhado. Apenas alguns controles específicos ficam apenas de um lado. É o caso do rádio, que fica na direita, e o controle do sistema hidráulico da caixa de carga, que fica na esquerda.

O Acco começou a ser produzido na década de 1960, ainda como um modelo International. Em 1992, a Iveco assumiu a linha de montagem e continuou a produção do modelo até 2002, usando a marca norte-americana, mas já com a cabine do Fiat 190.

Esse é um daqueles exemplos que mostra que uma região do planeta tem necessidades muitos diferentes das outras, e que, muitas vezes, modelos de veículos que dão certo lá não serviriam para outras partes do mundo.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!