Startup utiliza tecnologia para calcular impacto da emissão de CO2 no setor de transporte de cargas

por Blog do Caminhoneiro

A sustentabilidade é um tema indispensável nos dias de hoje, em todos os setores da sociedade e principalmente na economia. O que antes era visto como um manual de boas práticas, agora é considerado crucial para a eficiência e imagem das organizações. De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com executivos de 500 empresas médias e grandes 2021, 98% das empresas adotaram ao menos uma ação de sustentabilidade e 63% delas pretendem ampliar os investimentos na área nos próximos dois anos. Tal tendência sustentável está ganhando cada vez mais força, fazendo com que companhias de diferentes escalas busquem alternativas para se adequarem a essa demanda mundial.

No segmento de transporte de cargas, reconhecido por ser o principal meio de abastecimento da indústria e do comércio brasileiro e de acordo com uma análise do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG), responsável por lançar no ar 84,5 milhões de toneladas de CO2, essas tendências sustentáveis também estão ganhando cada vez mais força. Seja através de normas cada vez mais rigorosas ou da sensibilização das empresas, o setor tem se preocupado com a redução de poluentes e utilizando diferentes tecnologias para alcançar esse objetivo.

É Exatamente através da tecnologia, que a startup Gasola realiza esse serviço. A empresa, que nasceu com o propósito de ajudar transportadoras a terem acesso a melhores negociações no preço do combustível, visando democratizar o acesso à gestão de abastecimento de frota, identificou a necessidade dos seus clientes de realizar o cálculo de emissão de CO2, passando a oferecer o serviço como um de seus diferenciais e levando a preocupação com os aspectos ambientais ainda mais a sério. Afinal, em 2020, foram mais de 115 milhões de toneladas em queimas de combustíveis, de acordo com o SEEG.

Através de uma função no aplicativo do Gasola, os transportadores realizam cálculos que reconhecem a emissão de CO2 de cada veículo de sua frota. Assim, as empresas parceiras possuem uma maneira eficaz, simples e objetiva para cumprir a política de emissão de carbono.

O CEO do Gasola, Ricardo Lerner, explica como funciona este cálculo. “A transportadora realiza o teste de opacidade (esse teste verifica quanto o veículo libera de partículas à medida que acelera) nos veículos e isso gera um coeficiente para cada placa. Esse número é cadastrado no sistema do Gasola. Com o coeficiente de opacidade definido, junto a meta de km/litro cadastrada, a plataforma calcula para cada abastecimento o impacto positivo ou negativo na emissão de CO2.”

Dessa forma, a empresa obtém controle sobre a emissão de carbono de sua frota e consegue definir ações para minimizar os impactos ambientais e economizar combustível. Como o próprio founder do Gasola explica “monitorar quais placas e quais motoristas estão gerando maior impacto de CO2 é fundamental para implantação de um processo de melhoria contínua.”

O Gasola é uma startup focada na gestão de combustível, visando sempre a melhor negociação para seus clientes, com os melhores preços e as melhores soluções. Mesmo assim, não deixa os impactos ambientais de lado. Ricardo finaliza explicando um pouco sobre como os clientes reagem aos resultados apresentados pelo aplicativo, “as empresas parceiras utilizam este recurso da plataforma e a consideram um aliado no acompanhamento de emissão de CO2, auxiliando na construção de políticas que ajudem na preservação do meio ambiente”.

Deixe um comentário!