Rodovia Presidente Dutra e Rio-Santos serão administradas por 30 anos pelo Grupo CCR

por Blog do Caminhoneiro

Na última sexta-feira, 04 de março, foi assinado o novo contrato de concessão das Rodovias Presidente Dutra e Rio-Santos. De acordo com o Governo Federal, o novo contrato terá 30 anos de duração. O Presidente da República, Jair Bolsonaro, participou de evento, que ocorreu em São José dos Campos (SP).

A Dutra é uma das principais rodovias do país e foi construída há mais de 70 anos. O contrato de concessão com o Grupo CCR agrega também a rodovia Rio-Santos (BR-101/RJ/SP). O leilão de concessão da via foi realizado no dia 29 de outubro do ano passado, pelo Governo Federal, na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3.

A concessionária vai investir R$ 14,8 bilhões nas duas rodovias durante os 30 anos de concessão. Nesse período, será alocado também cerca de R$ 10,8 bilhões em serviços operacionais.

Ao longo das próximas três décadas, a rodovia Presidente Dutra vai contar com monitoramento completo por meio de câmeras automáticas para identificação de incidentes, wi-fi e iluminação de led. Outra inovação está na passagem de veículos sem necessidade de parada em pontos de pedágio (em Guarulhos/SP). Os motoristas que utilizarem a rodovia com frequência terão desconto na tarifa de pedágio. O contrato prevê ainda a adoção de metodologia internacionalmente reconhecida para reduzir acidentes em estradas e emissão zero de carbono.

Além da redução tarifária imediata para automóveis e caminhões, pela primeira vez em uma concessão rodoviária não será cobrado pedágio para motociclistas.

Entre as obras previstas estão a duplicação de 80 quilômetros da rodovia, construção de 590 quilômetros de faixas adicionais, 128 passarelas e 144 quilômetros de vias marginais. A concessionária vai construir ainda quatro áreas de descanso para caminhoneiros (três na Dutra e uma na Rio-Santos).

A estimativa é que as obras nas duas rodovias gerem, ao longo do contrato, 218,7 mil novos postos de trabalho (direto, indireto) e beneficie 46 municípios de São Paulo e Rio de Janeiro que ficam às margens das BRs 116/101.

Só no estado de São Paulo foram investidos R$ 7,4 bilhões. Na região metropolitana do estado serão alocados R$ 1,4 bilhão para melhorar a fluidez do trânsito e facilitar o acesso ao Aeroporto Internacional de Guarulhos.

A expectativa é que as melhorias reduzam o tempo de viagem entre o Aeroporto Internacional de São Paulo e a capital paulista de 37 minutos para 22 minutos pela via marginal. Já pela via expressa, a estimativa é que o deslocamento dure somente 14 minutos.

No trecho fluminense da nova concessão, serão aplicados R$ 7,5 bilhões do total previsto para os 30 anos de contrato. Devem ser executados 203 quilômetros de 3ª e 4ª faixas, 26 quilômetros de faixas adicionais para ultrapassagem e 80 quilômetros de duplicações na BR-101, entre a cidade do Rio de Janeiro e Angra dos Reis.

A Serra das Araras (RJ) vai contar com a construção de uma nova pista para a subida da Serra do Mar e a adequação da pista atual. O investimento no trecho será de R$ 1,2 bilhão. Haverá ainda a implantação de um túnel com 400 metros de extensão e de duas áreas de escape ao longo da nova pista, além de outras obras de arte especiais no trecho da serra.

Além da fluidez, tecnologia e segurança nas rodovias, as obras previstas vão garantir mais fomento ao turismo, emprego e renda para a população da região. Com o contrato assinado, o Governo Federal garante mais eficiência para a logística brasileira, além de mais desenvolvimento e inovação para o país.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Com informações do Ministério da Infraestrutura

Deixe um comentário!