Projeto que altera regra do INSS de transportador autônomo é aprovado em comissão da Câmara dos Deputados

O Projeto de Lei 2574/21, do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), que determina que o recolhimento das contribuições previdenciárias dos transportador autônomo de carga (TAC) será feito pelas instituições de pagamento eletrônico de frete (Ipefs) ou empresas emissoras do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e), foi aprovado pela Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 11 de maio.

Hoje, a responsabilidade de recolhimento ao INSS é do contratante dos serviços do TAC. A proposta altera a Lei 11.442/07, que disciplina o transporte autônomo de cargas.

A Ipef é a empresa responsável por transferir o valor do frete contratado para a conta do caminhoneiro autônomo. Já o DT-e é o documento que unifica as informações relativas ao frete, incluindo dados da carga e o valor contratado junto ao caminhoneiro.

Fiscalização

O relator, deputado Paulo Guedes (PT-MG), deu parecer favorável ao projeto. Para ele, a proposta de Goergen facilita a fiscalização e evita que o caminhoneiro seja prejudicado pelo não repasse das contribuições ao INSS.

“Ao transferir a responsabilidade para um agente alheio a eventuais divergências de interesses, a medida será capaz de conferir maior transparência ao processo. Além disso, a fiscalização será simplificada enormemente, pois a quantidade de mediadores financeiros é muito menor que a de transportadoras em operação no mercado”, disse Guedes.

O projeto será analisado agora, em caráter conclusivo, pelas comissões de Seguridade Social e Família; Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Com informações da Agência Câmara de Notícias

Deixe um comentário!

Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos