Trabalho de caminhoneiro para brasileiros nos Estados Unidos não é impossível, mas é difícil

por Blog do Caminhoneiro

Trabalhar fora do Brasil, com uma realidade de ganhos e infraestrutura das rodovias totalmente diferente da nossa, é o sonho de milhares de brasileiros, que veem em países da Europa, além de Canadá e Estados Unidos a possibilidade de mudarem de vida. Nos Estados Unidos, por exemplo, os caminhoneiros empregados em transportadoras podem receber até US$ 125 mil por ano, dependendo do ramo de atuação.

E é para lá que muita gente quer ir, atrás do sonho americano. E muita gente também quer saber como ser caminhoneiro nos Estados Unidos. Para o país, a entrada de mais caminhoneiros de outros países poderia ser a solução para o problema de escassez de mão de obra no setor, já que faltam mais de 60 mil motorista atualmente, número que pode passar de 100 mil até o final de 2024, de acordo com a American Trucking Association (ATA).

Atualmente, quase metade dos caminhoneiros nos Estados Unidos são de outros países, especialmente do México e América Central, Ásia, e, em menor parte, da América do Sul.

Por ser um país tão buscado por estrangeiros, nas mais diversas profissões, a entrada nos Estados Unidos é uma das mais difíceis e burocráticas do mundo. Ou seja, não basta apenas vontade de ir. Tem que entender e conseguir superar todas as etapas de um processo que pode levar vários anos.

Para trabalhar como empregado, pode-se tentar obter o visto EB3. Para conseguir esse tipo de Green Card, o interessado precisa, primeiramente, saber falar perfeitamente o inglês, ter passaporte e visto de turismo para os Estados Unidos.

Depois, inicia-se o processo de obtenção do visto EB3. Esse tipo de visto é dado para trabalhadores qualificados, com dois anos de experiência profissional em profissões consideradas com falta de mão de obra nos EUA.

Para dar entrada no pedido, é necessário que haja uma empresa patrocinadora, ou seja, você precisa ter uma empresa dos Estados Unidos, que se encaixe nos requisitos do programa, como tamanho, número de funcionários, faturamento e quantidade de vagas abertas. A empresa será responsável pela primeira etapa do processo, preenchendo um formulário do Departamento do Trabalho do Governo dos Estados Unidos.

A empresa precisará provar que não consegue contratar cidadãos norte-americanos para aquela vaga. Depois, o trabalhador precisará enviar outro formulário, e uma série de documento exigidos, como passaporte, autorização de trabalho aprovado em consulado, registros de ações na justiça e criminais.

Depois de tudo aprovado, o trabalhador terá que passar por uma rigorosa entrevista em uma embaixada. Aqui no texto, não parece um processo tão complicado, mas é. O período médio de obtenção de um visto EB3 é de 18 meses. Ou seja, a empresa que tem interesse em te contratar terá que esperar 1 ano e meio para que você possa entrar no país.

Mas, depois de tudo isso, como você vem de outro lugar do planeta, precisará passar por outro processo burocrático, para obter todas as documentações exigidas nos EUA, e, só depois disso, terá direito a obter a Carteira de Motorista Profissional, conhecida como CDL, que vai permitir a direção de caminhões pesados.

Se tudo der certo, em um processo que pode levar até 3 anos no total, o trabalhador poderá levar a família, que também entrará nos EUA com vistos específicos. Nesse caso, cônjuge e filhos menores de 21 anos que sejam solteiros.

O visto EB3 é uma das formas mais simples, apesar de ter diversas etapas, de se conseguir obtenção de cidadania norte-americana, permitindo que se viva permanentemente no país. O custo total pode ficar na casa dos US$ 80 mil, mas a maior parte é custeada pela empresa interessada.

Trabalhar e viver nos Estados Unidos é um sonho que tem sido realizado por cada vez mais pessoas de todo o mundo. Mas é preciso dedicação, esforço e paciência. Então, se for tentar, comece pelo mais básico: Como está seu inglês? E os documentos?

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

2 comentários

Keller Marques de Freitas 10/05/2022 - 18:09

Sou tanqueiro. Minha filha é americana não sei se ajuda. Porque não ir.kk

Reply
Carlos José Ferreira do Nascimento 06/05/2022 - 23:25

Sou cegonheiro no Brasil. se alguém ou alguma empresa nós estudos unidos quiser me contratar eu vou

Reply

Deixe um comentário!