Mercedes-Benz Axor deixará de ser produzido em dezembro

Um dos caminhões de maior sucesso da Mercedes-Benz no Brasil deixará o mercado ao final deste ano. A produção do Mercedes-Benz Axor chega ao final em dezembro, na virada da norma de emissões Euro 5 para o Euro 6, que passa a vigorar em janeiro de 2023.

De acordo com a montadora, o modelo já esá no limite do seu desenvolvimento, e os 17 anos de produção não justificariam o massivo investimento necessário para adequação do caminhão às novas tecnologias de emissões.

Em versão Euro 5, o caminhão é disponibilizado em versões rodoviárias e off-road, com potências variando entre 326 cavalos e 439 cavalos de potência na versão estradeira, e 310 cv e 439 cv na versão off-road.

Ao todo são 20 variantes do caminhão, sendo 13 rodoviárias, com tração 4×2 e 6×2 sendo cavalo mecânco ou rígido; e 6×4, exclusivamente como cavalo mecânico. Os modelos off-road são versões 6×4, produzidos como cavalo mecânico ou chassi rígido.

Atualmente, a Mercedes-Benz oferece o pesado Novo Actros, sempre rodoviário, com versões 4×2, 6×2 e 6×4, e potências entre os 450 e 530 cavalos; e o fora de estrada Arocs, que atualmente conta com apenas uma versão, a 8×4, com PBT de 58 toneladas e motorização OM 460 LA, de 510 cavalos de potência.

O Axor 2544 é um dos caminhões mais vendidos do país, figurando na oitava posição entre os pesados, registrando 1.392 unidades emplacadas até setembro.

O caminhão continua sendo produzido e vendido normalmente, em todas as suas versões, até dezembro, inclusive durante a Fenatran, que deve marcar a despedida desse grande sucesso da montadora alemã no Brasil.

2 comentários

Victor Hugo Guidoni 22/10/2022 - 16:33

O axor desculpe é a correção de texto.

Reply
Victor Hugo Guidoni 22/10/2022 - 16:31

O amor desde o lançamento é a mesma roupa tá igual o constellation é preciso mudar.

Reply

Deixe um comentário!

Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos