Caminhoneiro que causou destruição em Curitiba disse que drogas são doença crônica entre caminhoneiros

No último sábado, 14 de janeiro, um caminhão em alta velocidade causou destruição no trajeto entre Ponta Grossa e Curitiba, no Paraná. No volante estava Nilson Pedro dos Santos, 35 anos, motorista terceirizado da empresa Rododrive, que presta serviços à cervejaria Heineken.

Em surto, ele dirigiu como se estivesse sendo perseguido, e atingiu pelo menos dezoito veículos no trajeto que liga as duas cidades, sendo seis na rodovia e mais doze na capital paranaense. Três pessoas ficaram feridas.

De acordo com a polícia, o caminhoneiro disse que estava há três dias sem dormir, tomando rebites para se manter acordado, mas não foi descartada a utilização de outras drogas, possivelmente cocaína, além de ser constatado o uso de álcool.

Após ser preso na cidade de Curitiba, o caminhoneiro foi autuado por homicídio tentado, dirigir sob efeito de substância entorpecente, direção perigosa e omissão de socorro. Devido à natureza dos crimes, não há direito à fiança.

Em entrevista, o caminhoneiro disse que estava sob influência de drogas para conseguir entregar a carga, que era horária, e também afirmou que o uso de drogas por caminhoneiros é “uma doença crônica”.

“Diz que tinha dois rapazes em cima do caminhão lá, e ali pela carga horária, já tinha usado algumas substâncias. O que eu posso dizer é assim. Nada que eu vou falar que vai, vai, vai trazer, vai fazer com que as famílias acreditem em mim né, nada que eu possa dizer que vai fazer isso, mas eu peço perdão para todas as famílias que estejam envolvido ali e eles não sabe que isso é uma doença crônica que existe no mundo do caminhoneiro. Eu posso está sendo o primeiro, eu posso está sendo o último. Isso aí vai sempre vai existir”, disse o caminhoneiro.

Empresas envolvidas publicam nota

As duas empresas responsáveis pelo caminhão e pela carga transportada publicaram notas lamentando o ocorrido e se colocando à disposição para tomar as medidas cabíveis.

A Heineken publicou:

“Lamentamos profundamente o ocorrido e nossa principal preocupação é com as pessoas que foram atingidas de alguma forma. A carga estava sendo transportada por uma empresa que nos presta serviços logísticos pontuais na região e, assim que tomamos conhecimento do caso, buscamos informações sobre o estado de saúde das vítimas que, felizmente, estão seguras e sem ferimentos graves. Neste momento, estamos dedicados a acompanhar a apuração da situação para tomar as medidas cabíveis”.

Já a transportadora Rododrive, de Arapongas, no Norte do Paraná, informou que o caminhão e o caminhoneiro são prestadores de serviço terceirizados, e que também está tomando as medidas necessárias:

“A empresa Rododrive em atenção ao acidente ocorrido no último sábado, dia 14/01, vem manifestar seu profundo respeito quanto ao indesejável acontecimento que provocou danos diversos a pessoas e bens, e esclarece que o fato foi provocado por prestador de serviço terceiro, utilizando-se de veículo igualmente contratado de terceiro. Não obstante, a Rododrive observando suas políticas de compliance informa que já instaurou sindicância que está em curso para apuração dos fatos visando a elucidar todo o ocorrido. Também colocou seu canal de comunicação para atendimento de todos que infelizmente foram ofendidos pela conduta inadequada e isolada do motorista que provocou todo o infeliz ocorrido. Infelizmente estamos sujeitos a riscos iminentes, quando apenas uma personalidade toma decisão de agir de maneira relevante e negativa. A Rododrive, desde o primeiro momento em que tomou conhecimento dos fatos, agiu com seu corpo administrativo e jurídico, para minimizar os danos e seus efeitos, colaborando com as autoridades de trânsito, e buscando evitar outros danos diretos ou indiretos a terceiros. Nesse sentido a Rododrive se coloca à disposição e espera contribuir para uma solução rápida, adequada e eficiente de modo superar a situação ocorrida. A Rododrive reafirma seu legítimo compromisso de atuar de modo ostensivo para que este fato isolado seja superado”.

Seguirá preso

Em decisão do juiz Tiago Flôres de Carvalho da Justiça do Paraná, a prisão em flagrante do caminhoneiro foi convertida em prisão preventiva.

A alteração do regime foi feito a pedido do Ministério Público do Paraná.

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

3 thoughts on “Caminhoneiro que causou destruição em Curitiba disse que drogas são doença crônica entre caminhoneiros

  • 18/01/2023 em 21:32
    Permalink

    Vamos colocar em prática tudo que existe em conhecimento de horário de trabalho…
    44 horas semanais …8 horas diarias …e um pais parado no tranporte…
    Mas algo vem antes de tudo a vida…
    Tanto do caminhoneiro como dos demais…
    Edta tragédia poderia ter sido maior bem maior…
    Com um rastreador poderia ter sido evitado tudo isso monitorando eletrônico …
    E o mercado esta cheio deste ….

    Resposta
  • 17/01/2023 em 20:54
    Permalink

    Pra 99% das transportadoras motorista bom e esse ! Onde chegar um que não tem experiência mais e um profissional e não tem oportunidade. O drogado e o motorista bom. Por conta de um drogado levar a fama toda classe.

    Resposta
  • 17/01/2023 em 10:24
    Permalink

    Infelizmente os caminhoneiros ficam a mercê das empresas o dia inteiro para poder carregar e assim que carrega as empresas exigem que a carga seja entregue no horário.

    Resposta

Deixe um comentário!

Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal CAMINHONEIRO SEGUE TRABALHANDO AOS 90 ANOS DE IDADE