Primeiro Super Rodotrem de 91 toneladas e 11 eixos entra em operação em Minas Gerais

O Super Rodotrem, uma composição com 30 metros, onze eixos e Peso Bruto Total Combinado de 91 toneladas entrou em operação no Brasil. A primeira empresa a utilizar esse tipo de veículo é a Delta Sucroenergia, usina localizada em Delta-MG, que obteve as licenças necessárias em novembro de 2022.

A autorização veio quase um ano depois da regulamentação do uso desses caminhões pelo Contran. De acordo com as empresas envolvidas no processo, a demora aconteceu devido aos estudos necessários na via onde o veículo será usado e também à aquisição do implemento.

A autorização foi emitida pelo DER-MG (Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais) e valerá para a próxima safra.

Esse tipo de carreta só poderá rodar em trajetos pré-definidos, seguindo uma série de exigências feitas pelo Contran. É o caso da distância máxima do trajeto por vias públicas, de 80 quilômetros, horários restritos para rodagem, proibição de ultrapassagens, e engate exclusivo em cavalos-mecânicos 6×4, com capacidade máxima de tração igual ou superior às 91 toneladas. A velocidade máxima é limitada a 60 km/h.

As composições são formadas por um cavalo-mecânico de três eixos, mais um semirreboque com três eixos e reboque com cinco eixos, sendo um tandem duplo dianteiro com rala e um tandem triplo traseiro.

Outra exigência do Contran é que esses veículos não poderão rodar em comboio, deixando uma distância mínima de 300 metros entre cada composição, garantindo que outros motoristas possam fazer ultrapassagens com maior segurança.

As empresas interessadas no uso do Super Rodotrem são obrigadas a realizarem um Estudo Técnico que comprove a compatibilidade das CVC nas vias que pretende circular, laudo técnico dos implementos, certificado de avaliação de conformidade emitido pelo Inmetro, além de um estudo detalhado de viabilidade de tráfego no percurso proposto, com análise de geometria da via, análise de capacidade e nível, estudo de tráfego para possível instalação de terceira faixa em aclives, sinalização horizontal e vertical, análise da capacidade de suporte da rodovia ao conjunto, análise de pontes e viadutos, e apresentação de medidas para sanar qualquer problema encontrado no trecho.

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Conheça o NIKOLA TRE movido a hidrogênio Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal