Ministério dos Transportes revitalizará pontos críticos no acesso ao Porto de Paranaguá

Entrada Porto de Paranaguá




Um grupo de trabalho formado por representantes do Ministério dos Transportes, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística (Seil), Prefeitura de Paranaguá e da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) está levantando os pontos críticos de acesso ao Porto que receberão investimentos federais. O grupo, que fica em Paranaguá até a próxima sexta-feira (9), está identificando quais os trechos no acesso ao Porto merecem uma intervenção mais urgente.

De acordo com o analista de infraestrutura do Ministério dos Transportes que integra o grupo, Christiano Schneider Machado, a realização do diagnóstico foi impulsionada por uma demanda realizada pela Appa. “É preciso fazer com que as vias de acesso consigam atender às demandas futuras dos portos. Foi com base nesta reivindicação da Appa que viemos até aqui levantar a situação, verificar projetos existentes e traçar um relatório do que pode ser feito num curto espaço de tempo”, explica Machado.

Dos pontos analisados até agora, o grupo identificou quatro áreas críticas. A primeira dela trata-se do acesso ao Pátio de Triagem, na bifurcação entre a BR 277 e a Avenida Ayrton Senna. Já existe um projeto da Ecovia prevendo a construção de uma trincheira no local, para facilitar o acesso dos caminhões e liberar as vias de baixo para o fluxo de veículos leves.

Outros dois pontos críticos identificados foram a rotatória do parque São João e o trecho da BR 277 no acesso ao Embogaçu. Para estes dois trechos, a prefeitura municipal de Paranaguá tem projetos de construção de trincheiras também. “Todos os projetos existentes são úteis e levaremos para estudo em Brasília. No entanto, estes dois projetos são de 2006 e com certeza precisarão ser revistos”, explica Machado.

O quarto ponto identificado é a rotatória da Santa Rita, que também precisaria de uma trincheira. No entanto, dos quatro pontos identificados, este é o único sem projeto existente.

Para o superintendente dos portos do Paraná, Luiz Henrique Dividino, a iniciativa do governo federal em conhecer as demandas é bastante positiva. “Desenvolvemos um amplo projeto de modernização dos portos que só serão viáveis com acessos eficientes. O porto está fazendo o que lhe cabe, como a construção da marginal para o acesso ao pátio. Agora esperamos os projetos do governo federal para melhorar a estrutura no acesso à cidade e ao porto”, afirma.

A Appa já licitou a obra de construção da marginal de acesso ao Pátio de Triagem, no valor de R$ 2,4 milhões. No entanto, o projeto encontra-se aguardando autorização da Antaq para ser iniciado.