Vidas na boleia

caminhao_estrada_logistica

-Boa tarde, amigo.
– Boa tarde.
– Eu estou com medo.
– Por quê?
– Nunca viajei de avião. Sou caminhoneiro e trouxe um caminhão do interior de Minas Gerais. Viajei 23 horas sem parar, à base de rebite, nem almocei hoje.
– Isso faz muito mal à sua saúde.
– Eu sei, mas se não fizer assim perco o emprego.

Essa conversa foi durante um voo para São Paulo com um caminhoneiro exausto e esgotado, após o término da sua missão. Ele ainda relatou que a sua empresa queria lhe enviar de ônibus, mas não aceitou tal condição porque iria repetir a jornada para levar mais um caminhão a Curitiba.

Aqui vai uma reflexão sobre o trabalho desses homens da estrada que cruzam nosso País diariamente. Responsáveis pelo transporte de mais de 60% de toda a carga movimentada no País, esses profissionais passam a maior parte da vida na boleia. O Brasil tem mais de 1 milhão de caminhoneiros, e isso ainda é pouco. Segundo a Associação Nacional das Transportadoras de Carga e Logística, o déficit é de 120 mil motoristas. As estradas perigosas, o medo da violência, a distância da família e até a tecnologia são fatores que estão diminuindo o interesse pela profissão.

Gerente de uma escola para transporte, Salete Argenton diz que é difícil surgirem novos motoristas, embora as empresas venham investindo na requalificação dos antigos, visando a não perder mercado. Hoje em dia, está bem mais complicado realizar o sonho de ser caminhoneiro, mesmo com a baixa exigência de escolaridade. Os caminhões trazem uma tecnologia embarcada que exige bons conhecimentos para operá-la. Sem contar os valores envolvidos na atividade. Um caminhão custa até R$ 500 mil e certas cargas ultrapassam R$ 1 milhão.

É preciso preparo para cuidar de tudo isso, observando aspectos de segurança, meio ambiente etc. O empresário Mário Aguiar defende e articula a triplicação da BR-101. Vamos nos juntar a ele nesta batalha, buscando melhores condições de trabalho para os caminhoneiros e usuários da estrada. As ferrovias e hidrovias também precisam ganhar maior dimensão para que as estradas fiquem mais tranquilas e seguras.

– Até logo, senhor, obrigado pela ajuda durante o voo.
– Que Deus te abençoe, amigo caminhoneiro. Até a próxima viagem.

Texto de CÉSAR DÖHLER

3 comentários

jorge garcia 19/01/2014 - 13:05

não é fácil, eu sei muito bem disto,mais quem tem que tomar providencias é nossos governantes. Aliás, eu estava me esquecendo, sr. governador de são paulo, que cachorrada é esta de ter uma placa na via anchieta (alto da serra) proibindo ultrapassagens de caminhões num certo horário, e no entanto seus policiais rodoviários ficam atrás do toco só anotando as placas de caminhões que ultrapassam,esta placa é falsa sr. governador?

Reply
Alex 18/01/2014 - 01:21

Recuso-me a acreditar nesta conversa que não temos caminhoneiro por causa das tecnologias embarcadas nos caminhões!! Garanto a vcs que qualquer caminhoneiro com 5 minutos de explicação e uma volta em qualquer caminhão consegue trabalhar!! Agora eu gostaria de ver pessoas com escolaridade e maiores de 25anos,( porque antes não podem ter a categoria E), Trabalhar com FNM, Chevrolet, Detroit, 1519 etc… Sem ar condicionado, freio estacionário, direção hidráulica, sem cambio sincronizado ( caixa seca) ETC… Antigamente o Motorista sofria!! Hoje só e Luxo nos cargueiros!! (mas ninguém fala hoje do salario de fome, industria da multa, pontuação na carteira, restrição de horário, rastreadores travando caminhões em cima da pista e a escravidão ETC.. ( Sem entrar em detalhes do autônomo que compra a ferramenta de trabalho e tem que respeitar rodizio e restrições de horários e agora a lei que foi colocado para os empregados o veiculo fica sem trabalhar 6 meses no ano! Mas tem que pagar IPVA,seguro obrigatório e seguro do caminhão para o ano todo fora os pedágios que as empresas não repassam e agora pagar o eixo levantado!! E VEM COM ESSA CONVERSINHA DE QUE NÃO TEM MOTORISTA POR CAUSA DA TECNOLOGIA!!!!!

Reply
Jose carlos ianiak 17/01/2014 - 22:28

Otario que ttoma rebite nao da valor para a propia vida muito menos dos outros que nao tem nada aver.

Reply

Deixe um comentário!

Conheça os detalhes do projeto Roda Bem Caminhoneiro Scania já teve 13 séries especiais no Brasil Conheça a nova série especial da Scania O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia