Usina de cana atesta qualidade dos motores FPT Industrial

por Blog do Caminhoneiro

Confiabilidade, robustez e uma boa relação custo-benefício. Esses são os destaques citados pela Usina Nova Gália sobre os motores da FPT Industrial que equipam máquinas da New Holland Construction. O cliente está na Zona Rural da cidade de Paraúna, no Estado de Goiás e utiliza as máquinas para o carregamento de bagaço de cana em suas operações diárias.

Por safra, os motores das máquinas da linha amarela encaram um trabalho extremamente severo. “O carregamento de bagaço de cana é feito em rampas longas e de grande inclinação. O investimento inicial que fizemos frente ao retorno que temos é positivo, assim como o custo de manutenção. Trata-se de uma relação custo-benefício interessante”, analisa Leandro Rangel Madriles, engenheiro mecânico e gerente industrial da Usina Nova Gália. “Afinal, durante a safra de aproximadamente 200 dias, as carregadeiras sobre rodas, por exemplo, trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana, com paradas feitas apenas para uma manutenção corriqueira”, acrescenta o engenheiro.

Madriles foi mais além e analisou o recente protótipo de motor FPT Industrial movido a biometano para aplicação em máquinas. Para ele, a opção poderá ser viável para negócios futuros, uma vez que há evolução nos biodigestores de vinhaça para a produção de biogás (metano). “Com isso, creio que em um futuro próximo teremos viabilidade técnica e econômica para a utilização em média escala de máquinas equipadas com o motor de biometano”, prevê o gerente industrial.

Fundada em 2008, a Usina Nova Gália atende o mercado nacional de etanol, e conta com seis estruturas com capacidade para processar dois milhões de toneladas de cana por safra (o que compreende, em média, um período de 200 dias). A usina produz dois tipos de álcool, sendo o anidro (adicionado à gasolina para ser utilizado como combustível para automóveis e matéria-prima para tintas, solventes e vernizes) e o hidratado (este, aplicado como combustível para veículos flex).

Na opinião do executivo, os motores da FPT são produtos confiáveis, duráveis e de grande disponibilidade. “Já trabalhamos com máquinas equipadas com motores FPT Industrial há oito anos. O desempenho do motor é bom, e o consumo médio de uma pá carregadeira W170B, por exemplo, é de 19,6 litros por hora, o que consideramos bastante aceitável”, ressalta Madriles.

A Usina Nova Gália conta com seis máquinas de construção da New Holland movidas por motores FPT Industrial, sendo uma motoniveladora, três pás-carregadeiras sobre rodas, uma escavadeira hidráulica e uma minicarregadeira sobre rodas. “As pás maiores são para carregamento de bagaço, enquanto a motoniveladora e escavadeira hidráulica para conservação de estradas e barragens, e a minicarregadeira para serviços gerais”, finaliza Madriles.

A presença da FPT Industrial nas máquinas de construção

O motor N67 do portfólio da FPT Industrial equipa entre outras máquinas, a carregadeira da New Holland Construction. Com sistema de injeção de combustível tipo Common Rail, turbocompressor e intercooler, o N67 conta com 6,7 litros. Sua potência vai de 130 cv a 2.200 rpm, até 235 cv a 2.200 rpm, e torque de 589 Nm @ 1.400 rpm a 1082 Nm @ 1.500 rpm. A combinação de seis cilindros e um volume deslocado de 6,7 l garantem ao N67 alto rendimento, combinando torque elevado, menor consumo de combustível e baixo custo de manutenção.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!