Caminhões Iveco no Dakar usam motores iguais aos de modelos de estrada




O Dakar é considerado o rally mais dificil do mundo. Atualmente percorre mais de 8,7 mil quilômetros por diversos cenários da América do Sul, e recebe centenas de pilotos, navegadores e equipes correndo atrás dos menores tempos.

Não foi diferente para a Iveco. Com a Equipe De Rooy Iveco, a montadora chegou pertinho da vitória, porém, um problema mecânico no câmbio tirou Frederico Vilagra, o piloto Iveco mais bem colocado no Rally, da disputa na 13ª etapa. Faltava apenas uma etapa para terminar o rally.

A Iveco chegou a liderar a categoria de caminhões por várias etapas, ficando com seus três caminhões entre os 10 primeiros de mais de 40 competidores. No final o caminhão Iveco pilotado por Artur Ardavichus ficou em 4º na classificação final, com 6 horas e 38 minutos atrás do primeiro colocado, Eduard Nicolaev, que fez os 8,7 mil quilômetros em 54 horas e 57 minutos. Ton Van Genugten, o outro piloto da Iveco, terminou em oitavo, com 9 horas e 24 minutos atrás do primeiro colocado.

LEIA MAIS  Ford entrega 21 caminhões Cargo Kolector para a Ponta Grossa Ambiental

Além da corrida em si, o que impressiona também é a preparação que os veículos recebem para conseguirem suportar os diferentes ambientes, temperaturas e dificuldades do terreno durante os 14 dias de corrida. Para se ter uma ideia, os modelos Iveco do rally são equipados com motores Cursor 13, com 6 cilindros e 12,9 litros, em versão Euro 6, o mesmo motor que equipa o Iveco Hi-Way na Europa. O motor recebe uma série de modificações para suportar o rally, e atinge 920 cavalos de potência e 4200 Nm de torque. O mesmo motor, na versão normal, fornece 570 cavalos de potência e 2.500 Nm de torque.

Além disso, a cabine também é semelhante, a mesma utilizada no modelo PowerStar, vendido na Austrália, mas conta com reforços para suportar todo o estresse do rally e um possível acidente. Todo o chassi é reforçado, e o caminhão recebe nova suspensão e eixos Sizu, que equipam modelos fora-de-estrada. Os pneus são 375/90R22,5, fornecidos pela Goodyear, e os freios são a disco nas quatro rodas. O tanque tem 700 litros de capacidade, o mesmo que algumas versões rodoviárias.

LEIA MAIS  Caminhoneiro denuncia roubo de peças de caminhão pelas redes sociais

Com todas as modificações, os três caminhões Iveco foram favoritos ao título do Dakar. Porém a vitória ficou para o próximo Rally Dakar, que será realizado em 2019.




Um comentário em “Caminhões Iveco no Dakar usam motores iguais aos de modelos de estrada

Deixe sua opinião sobre o assunto!