Caminhões Iveco no Dakar usam motores iguais aos de modelos de estrada




O Dakar é considerado o rally mais dificil do mundo. Atualmente percorre mais de 8,7 mil quilômetros por diversos cenários da América do Sul, e recebe centenas de pilotos, navegadores e equipes correndo atrás dos menores tempos.

Não foi diferente para a Iveco. Com a Equipe De Rooy Iveco, a montadora chegou pertinho da vitória, porém, um problema mecânico no câmbio tirou Frederico Vilagra, o piloto Iveco mais bem colocado no Rally, da disputa na 13ª etapa. Faltava apenas uma etapa para terminar o rally.

A Iveco chegou a liderar a categoria de caminhões por várias etapas, ficando com seus três caminhões entre os 10 primeiros de mais de 40 competidores. No final o caminhão Iveco pilotado por Artur Ardavichus ficou em 4º na classificação final, com 6 horas e 38 minutos atrás do primeiro colocado, Eduard Nicolaev, que fez os 8,7 mil quilômetros em 54 horas e 57 minutos. Ton Van Genugten, o outro piloto da Iveco, terminou em oitavo, com 9 horas e 24 minutos atrás do primeiro colocado.

LEIA MAIS  Volvo deixa motores D11 e D13 ainda melhores e mais econômicos na Europa

Além da corrida em si, o que impressiona também é a preparação que os veículos recebem para conseguirem suportar os diferentes ambientes, temperaturas e dificuldades do terreno durante os 14 dias de corrida. Para se ter uma ideia, os modelos Iveco do rally são equipados com motores Cursor 13, com 6 cilindros e 12,9 litros, em versão Euro 6, o mesmo motor que equipa o Iveco Hi-Way na Europa. O motor recebe uma série de modificações para suportar o rally, e atinge 920 cavalos de potência e 4200 Nm de torque. O mesmo motor, na versão normal, fornece 570 cavalos de potência e 2.500 Nm de torque.

Além disso, a cabine também é semelhante, a mesma utilizada no modelo PowerStar, vendido na Austrália, mas conta com reforços para suportar todo o estresse do rally e um possível acidente. Todo o chassi é reforçado, e o caminhão recebe nova suspensão e eixos Sizu, que equipam modelos fora-de-estrada. Os pneus são 375/90R22,5, fornecidos pela Goodyear, e os freios são a disco nas quatro rodas. O tanque tem 700 litros de capacidade, o mesmo que algumas versões rodoviárias.

LEIA MAIS  TESTE - O que você sabe sobre a Iveco?

Com todas as modificações, os três caminhões Iveco foram favoritos ao título do Dakar. Porém a vitória ficou para o próximo Rally Dakar, que será realizado em 2019.




Um comentário em “Caminhões Iveco no Dakar usam motores iguais aos de modelos de estrada

Deixe sua opinião sobre o assunto!