Família e-Delivery: Volkswagen expande desenvolvimento de caminhões elétricos




A família de caminhões elétricos Volkswagen acaba de ganhar mais um integrante: o e-Delivery 13 toneladas, concebido na configuração 6×2. O modelo é o irmão maior do e-Delivery 11 toneladas 4×2, apresentado na IAA, maior mostra de veículos comerciais do mundo.

“Como parte do Grupo TRATON, contribuímos para o debate mundial sobre novas fontes de energia apresentando soluções viáveis e concretas, que já se tornam realidade com a chegada do e-Delivery às ruas de São Paulo, uma das maiores capitais do mundo”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus.

Com a apresentação do veículo, concebido no centro de desenvolvimento da VW Caminhões e Ônibus em Resende (RJ), a empresa reafirma seu compromisso no avanço de novas tecnologias voltadas à mobilidade sustentável, além da viabilização de seu uso em condições reais de operação.

Após uma série de testes de desenvolvimento, o e-Delivery 13 toneladas 6×2 traz novo conjunto de trem de força e arquitetura modular para atender todo o portfólio de veículos comerciais elétricos Volkswagen. O motor elétrico entrega até 180kW de potência com autonomia de até 200 km, variando de acordo com as condições de operação.

O terceiro eixo vem com rodado simples e suspensor para otimizar ainda mais a operação. O modelo também traz sistema de leitura inteligente da massa transportada pelo veículo para ajustar o consumo de energia, em conjunto com o Eco-Drive Mode.

LEIA MAIS  Tabela de Frete: Veja o que acontece se ficar ou se cair a liminar

Chassis, rodas e pneus seguem as características tradicionais e toda robustez da nova linha Delivery, compartilhando componentes da plataforma para garantir a sinergia e escala de componentes também com a família diesel, visando à consequente redução de custos.

Além dos caminhões e-Delivery 11 toneladas 4×2 e 13 toneladas 6×2, a empresa acaba de apresentar também o Volksbus e-Flex, ônibus que combina a propulsão elétrica a motores abastecidos com gasolina, etanol ou que até mesmo utilizem gás natural ou biometano, endereçando desta forma os desafios de infraestrutura das municipalidades, otimizando o custo da eletrificação, reduzindo fortemente os níveis de emissões, maximizando a autonomia e a eficiência operacional.

Ele começa a rodar já no ano que vem nas ruas brasileiras e vai entrar no portfólio de vendas da marca apenas seis meses depois do caminhão e-Delivery, que está previsto para ser fabricado em série a partir de 2020.

Tecnologia: inovação e conforto a bordo

O novo e-Delivery de 13 toneladas tem trem de força preparado para partida em rampas, sem qualquer dificuldade, com o apoio do sistema auxiliar de partida em rampa (HSA).

Além de baixíssimo nível de ruído e emissões zero, o conforto é assegurado pelo exclusivo sistema de suspensão a ar, que torna a experiência a bordo muito mais confortável, reduzindo a fadiga e colaborando para o aumento da produtividade da operação.

LEIA MAIS  Decisão do STF sobre a tabela de fretes causará nova greve de caminhoneiros

Para maximizar a performance do e-Delivery, o freio possui sistema dinâmico de regeneração, capaz de recuperar até 35% da energia durante a frenagem, que será utilizada para recarregar as baterias. O freio regenerativo atua combinado ao freio de serviço, de maneira a prover máxima desaceleração do veículo e menor desgaste dos componentes, o que reduz fortemente o custo de manutenção e aumenta a disponibilidade do veículo na operação.

Com configuração de baterias íon-lítio níquel-manganês-cobalto (NMC), a autonomia da nova família e-Delivery alcança até 200 km, variando de acordo com a configuração do veículo e perfil da operação. A recarga das baterias pode ser realizada de forma flexível (30% em 15 minutos ou 100% em 3 horas), de forma a atender às mais variadas demandas da operação, assim como a disponibilidade de infraestrutura.




Deixe sua opinião sobre o assunto!