Caminhões elétricos já eram realidade há mais de 100 anos




Caminhões elétricos são o futuro do transporte, mas também já foram parte importante do passado. No início dos anos 1900, várias empresas faziam testes com essa tecnologia, e vários modelos foram fabricados em todo o mundo.

Apesar de algumas limitações técnicas, esses veículos elétricos foram muito populares até a década de 1930, quando o diesel passou a fazer parte do cotidiano dos transportes e ganhou popularidade, graças a motores cada vez mais potentes e autonomia, com pontos de abastecimento espalhados por todas as estradas.

Alguns modelos, no entanto, continuaram a ser usados e produzidos após 1930. É o caso de dois caminhões elétricos usados até cerca 50 anos atrás. O primeiro foi fabricado em 1912, e continuou em serviço até 1964, quando foi aposentado. Ele fazia parte de uma frota de 22 caminhões iguais, usados por uma gráfica nos Estados Unidos.

Trata-se do modelo CT A10, fabricado pela empresa Commercial Trucks of America, com capacidade de carga de 5 toneladas. Ele era usado regularmente, em turnos de serviço de até 24 horas quase ininterruptas, com velocidade máxima de 16 km/h.

LEIA MAIS  PRF recupera caminhão com restrição de furto ao atender acidente na BR-101

O conjunto de baterias, primitivas até se comparadas com as baterias veiculares comuns de hoje em dia, podiam ser carregadas em apenas duas horas, e ofereciam uma autonomia de até 100 km. Se compararmos com veículos de hoje em dia, apesar da baixa velocidade desenvolvida, esses caminhões conseguiam rodar bastante dentro das cidades.

Como os motores elétricos tem uma eficiência maior que os motores à combustão interna, esse caminhão, equipado com quatro motores tinha potência de 64 cavalos, algo surpreendente para 1912. O veículo mais famoso daquela época tinha cerca de 20 cavalos.

Esse caminhão permaneceu em serviço até 1964, quando foi desativado e guardado. Apesar dos mais de 100 anos, ele foi vendido recentemente na Califórnia por US$ 39.900, sem nunca ter sido restaurado. As únicas modificações do veículo em seus mais de 50 anos foram a adição de uma cabine e a troca das baterias, que tinham vida útil de 10 anos.

Outro veículo bastante interessante é um caminhão fabricado pela empresa Maschinenfabriek Esslingen, em Berlim, em 1943. Nesse caso, o uso da eletricidade se deu por causa da escassez de gasolina e diesel durante a Segunda Guerra Mundial.

LEIA MAIS  PRF apreende veículo adulterado e com restrição de roubo em SP

Esse veículo era usado pela rede de padarias Wittler-Brot, para transporte de pães e outros itens alimentícios. Pelo que se sabe, apenas dez caminhões foram produzidos.

Ele tinha autonomia de 60 quilômetros, e podia rodar em velocidade de até 28 km/h. Apesar de ser um caminhão bastante grande, ele tinha apenas 11 cavalos de potência. Nessa época, outros caminhões a diesel já eram produzidos, com potências de mais de 65 cv.

O tempo de carga das baterias era de 5 a 6 horas, e os veículos foram usados até a década de 1970. Duas unidades foram preservadas.

Infelizmente, as informações sobre essas tecnologias de motores elétricos acabaram ficando esquecidas na história devido ao advento do diesel, mas hoje voltam com força total. Empresas estão investindo milhões de dólares em tecnologia elétrica pelo mundo, e em breve, praticamente todos os caminhões novos produzidos no planeta serão movidos por eletricidade.

Com informações de 40ton.net 




Deixe sua opinião sobre o assunto!