Como está o cenário do roubo de cargas no Brasil em 2019




O transporte por rodovias é o mais utilizado no país e ele é quem ajuda a movimentar a economia e garante que as pessoas possam adquirir diferentes produtos. Porém, o roubo de cargas no Brasil cada vez mais preocupa caminhoneiros e empresas de transporte.

Levantamentos feitos por um comitê de cargas do Reino Unido apontaram o Brasil como o 7º lugar no ranking de roubo de cargas entre 57 analisados.

Em outro relatório, a BSI Supply Chain Services and Solutions pesquisou o roubo de cargas na América do Sul. No primeiro semestre, o Brasil concentrou 90% das ocorrências, sendo que em 88% dos casos se tratava de ataques a caminhões.

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) também realizou um levantamento que apontou que, somente no ano de 2018, foram registrados mais de 22 mil ataques a motoristas no Brasil. Isso resultou em um prejuízo em torno de R$ 2 bilhões entre perdas de veículos e cargas.

Apesar dos números altos, eles já representam uma queda em relação à 2017.

A região sudeste reúne 80% das ocorrências, sendo que a maior parte ocorre em áreas urbanas.

O estado do Rio de Janeiro, líder em roubos, teve uma grande diminuição, o que puxou a queda de roubo de cargas no Brasil para números menores.

Levantamentos do Instituto de Segurança Pública – RJ apontam que em 2017 foram 10.599 casos de roubo de cargas e em 2018 houve uma queda para 9.182 registros.

O que se nota na maior parte das situações é que o roubo de cargas não é aleatório, existem alguns produtos que são mais visados pelos bandidos.

Nessa lista figuram cigarros, artigos alimentícios, combustíveis, bebidas, autopeças, eletrônicos e farmacêuticos.

Para tentar reverter esses números, foi sancionada a Lei 13.804/2019, que visa prevenir e repreender o contrabando, roubo de cargas e receptação. Dessa forma, os motoristas que forem coniventes com esses crimes serão punidos.

A importância de ter um seguro para roubo de cargas e de caminhão

Quem atua no ramo de transporte conhece esses perigos e investe em segurança, como o uso de GPS para rastreamento, escolta armada, caminhões com tranca e outros itens que previnem o roubo de cargas.

Entretanto, quando o assalto ocorre não há muito o que ser feito, a não ser acionar as autoridades e esperar que haja a recuperação.

Quando não são encontradas as cargas e o caminhão, o caminhoneiro ou empresa fica com o prejuízo, por isso é muito importante contar com um seguro.

O seguro de roubo de carga indeniza o transportador em relação aos itens que eram levados pelo caminhão. Já o seguro de caminhão indeniza o veículo em si e não somente em casos de roubo e furto, e pode proteger contra colisões e oferecer serviços de assistência 24 horas, porém não engloba os danos com a carga.

É importante se informar com um corretor e evitar maiores prejuízos para ter mais tranquilidade quando o transporte estiver sendo feito.

Afinal, com um cenário de roubo de cargas cada vez mais preocupante, qualquer forma de precaução e indenização deve ser adotada pelos transportadores.

Por Jeniffer Elaina, da Smartia Seguros