Emissor gratuito do MDF-e deixa de funcionar; procura por softwares pagos dispara

Tudo indica que chegaram ao fim os dias em que era possível emitir gratuitamente o Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e), documento fiscal digital que surgiu para agilizar o processo de emissão e fiscalização das expedições de carga rodoviária em território brasileiro. Empresas que ainda utilizavam o programa gratuito que era oferecido pelas secretarias estaduais de fazenda relatam que não estão mais conseguindo emitir o MDF-e desde o início da semana passada. No ano passado, o governo anunciou que o emissor seria descontinuado a partir do dia 1º de outubro de 2018. Desde então novos downloads foram suspensos e o programa não recebeu atualizações. Ele funcionou só até a segunda semana de julho de 2019.

O principal código de erro apresentado para quem tenta emitir o documento por meio do programa é a rejeição 225 que trata-se de uma falha no Schema XML do MDF-e, geralmente causado quando são usados caracteres inválidos no preenchimento da nota ou quando a versão do documento é diferente da esperada pela SEFAZ.

Com o fim do emissor gratuito, os empreendedores da área de transporte rodoviário se veem obrigados a buscar sistemas pagos para continuar fazendo transportes de maneira legal. A startup paranaense VHSYS, especializada em gestão empresarial e fornecedora de software de emissão de MDF-e, viu a procura pelo serviço disparar nos últimos dias. De 15 a 18 de julho, o número de MDF-e emitidos por meio do software desenvolvido e comercializado pela startup aumentou em 35,67%.

O boom na procura por softwares de emissão de MDF-e não foi uma surpresa para a VHSYS — a questão era quando isso aconteceria. “O emissor das secretarias de fazenda foi atualizado e começou a apresentar erros. A gente já sabia que em algum momento o sistema gratuito não funcionaria mais, e os usuários também. Quem continuou usando o gratuito até agora foram principalmente pequenos empresários, que agora vão precisar de outro software de emissão”, explica Cleverton Crusara, gerente de TI e desenvolvimento da startup.

LEIA MAIS  PRF flagra barco de luxo sendo transportado de forma irregular na BR 116 na Bahia

De acordo com Crusara, em apenas três dias cerca de 37% das contratações da startup foram vinculadas à necessidade de emissão desse tipo de nota, chegando a picos de mais de 50%. “Anteriormente as demandas por esse tipo de documento fiscal não chegavam a dois dígitos”, diz. O gerente de TI conta que o software de emissão da startup paranaense se destaca por oferecer preços competitivos, fato que é possível porque o sistema utiliza a tecnologia de armazenamento em nuvem. “Isso permite que possamos atender milhares de clientes com uma única estrutura”, afirma. Graças a essa tecnologia, as empresas conseguem emitir os documentos que precisam logo após a contratação do serviço, com a garantia de suporte dos funcionários da startup.

LEIA MAIS  Caminhoneiro usa próprio veículo para escorar carga de outro caminhão e impedir tombamento

Sobre a VHSYS

A VHSYS é uma startup paranaense que fornece um sistema online de gestão empresarial descomplicado para micro, pequenos e médios empresários. O sistema conta com módulos para emissão de nota fiscal, controle financeiro, vendas, estoque, além de ter desenvolvido uma loja de aplicativos exclusivos para o software, ampliando suas funcionalidades para o cliente final. A empresa foi criada e é dirigida por Reginaldo e Luan Stocco. Com mais de 150 mil empresas que já utilizaram o sistema, a startup está localizada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Em 2018, recebeu certificado da Great Place to Work como uma das melhores empresas para se trabalhar e em 2019 foi escolhida como uma das empresas mais amadas do Paraná, de acordo com a Love Mondays. Mais informações no site da VHSYS.