Scania comprova viabilidade do gás natural em teste com a Citrosuco

Durante o lançamento da nova geração de caminhões Scania no Brasil, a montadora anunciou o inicio de uma parceria com as empresas Citrosuco e Morada do Sol para testes com um caminhão movido a gás, que pode ser abastecido com Gás Natural Veicular (GNV) e também com Biometano, produzido a partir de resíduos, como lixo comum e da agricultura e pecuária.

Os testes começaram em dezembro de 2018, com um caminhão Scania R 410 importado da Suécia, com motor a gás ciclo Otto, com velas de ignição. Desde o início, o veículo foi abastecido apenas com GNV, e realiza viagens entre Matão, no interior de São Paulo, até o Porto de Santos.

Desde dezembro o veículo já rodou mais de 110 mil km. O teste é realizado junto com outro caminhões, movidos a diesel, com a mesma faixa de potência, para comparação.

A empresa operadora do veículo, a Morada Logística, obteve uma redução de 15% no custo do quilômetro rodado, sem perder rendimento e realizando o mesmo número de viagens que os veículos a diesel.

“Nossa solução é comprovadamente mais sustentável do que o diesel. O custo é viável economicamente considerando a realidade atual de preços do combustível e dos altos impostos”, afirma Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania no Brasil. “Mas, é importante ressaltar que será fundamental o governo federal colocar em prática os sinais que deu sobre seus planos para o gás natural no Brasil. Por exemplo, as privatizações que provocarão um choque de eficiência no setor via aumento da competitividade e por consequência redução dos custos e possivelmente do preço de venda ao consumidor final. Todo o começo de um novo sistema exige movimentos de todos os lados. Estamos recebendo muitas intenções de compra. Ou seja, comprovando que há demanda consistente. Agora, precisamos de mais oferta.”

O motor do veículo, com 6 cilindros, 13 litros e 410 cavalos de potência, é original de fábrica, não sendo adaptado para o gás.

“Não é conversão. Ele tem garantia de fábrica e tecnologia confiável. Na demonstração com a Citrosuco, o R 410 vem tendo um desempenho consistente e força semelhante ao caminhão a diesel. Além de ser 20% mais silencioso”, completa Munhoz.

Além do monitoramento feito pela Citrosuco e Morada do Sol, um time de engenheiros da Scania acompanha os testes de perto, participando das revisões do veículo, que também é monitorado pelos Serviços Conectados Scania.

Esse sistema de monitoramento analisa e envia para a Scania todas as informações das viagens, com dados detalhados quanto à operação e ao motorista. A Morada Logística tem à disposição uma série de dados para analisar o consumo de combustível, tipo de condução, desgaste de componentes e pneus e muitos outros.

Apesar das modificações técnicas em relação a um veículo a diesel, o caminhão apresenta a mesma tara e tem a mesma capacidade de carga e torque semelhante ao R 410 convencional, a diesel.

2 comentários

Arnaldo 09/09/2019 - 19:56

Sei não,mais econômico doque o diesel? Sem perda de potência? Só sei que no carro de passeio eu não quero nem dado mais. Mas vamos ver se vinga isso aí.

Reply
Nelson 09/09/2019 - 20:28

Boa noite Sr ARNALDO!!!
Com certeza, essa sua observação de que veiculo a GNV “nem de graça” deve – se ao fato de estar desinformado ou mal orientado sobre o assunto!!!!
Como um usuário de GNV por quase 20 anos e tendo mais de 06 veiculos de todas as marcas convertidos, posso lhe garantir que o Sr não deva rodar mais de 500 kms mensais com seu veiculo, isso caso tenha um!!!!
Rodo em média 3000 kms por mês e posso lhe garantir como conhecedor e usuário desse combustível que não só eu como muitos outros consumidores podem lhe garantir que sua opnião não reflete a realidade!!
Procure se informar mais sobre o assunto e se possivel converse e tire dúvidas com quem usa esse combustível que com certeza mudará sua opnião!!!
Obrigado!!!

Reply

Deixe um comentário!

Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta