COLUNA MECÂNICA ONLINE – Chave clonada

por Tarcisio Dias

Quem já teve a sensação de estacionar seu veículo e quando voltar a encontrar o carro, observar que ele foi arrombado, sabe como é ruim ter perdas materiais e ainda por cima, de imediato ser necessário consertar o dano no automóvel, por exemplo, um vidro que foi estourado, mostra o quanto a insegurança afeta a todos nós.

Acontece que a indústria automotiva evoluiu ao passar dos anos para dificultar a ação de bandidos e ao mesmo tempo, facilitar o acesso ao veículo por seu proprietário.

Recentemente é cada vez mais comum encontrarmos chaves automáticas que estão constantemente emitindo sinais para o veículo, mesmo quando ele se encontra mais distante.

Estamos falando do sistema keyless, uma tecnologia que permite ao motorista abrir e ligar o carro sem o uso da chave. O carro funcionará normalmente se você manter as chaves em seu bolso. O keyless surgiu no mercado como uma forma de proporcionar conforto e praticidade para o condutor.

A tecnologia funciona da seguinte forma: o veículo tem um sensor instalado próxima à porta do motorista que é o responsável por reconhecer e identificar o código inserido na chave por meio de ondas de rádio. Ao se aproximar do carro, a porta destrava no exato momento em que o motorista puxa a maçaneta. Para ligar o automóvel, basta apertar um botão chamado Start/Stop, uma vez que a chave já foi reconhecida automaticamente pelo carro.

O keyless oferece uma nova forma de lidar com o carro. Você não vai mais precisar procurar as chaves nos bolsos, mochila ou bolsa para entrar e ligar o veículo, muito mais facilidade, não é mesmo?

Um teste encomendado pela organização alemã ADAC confirmou a vulnerabilidade do sistema, que pode ser invadido por hackers, possibilitando a abertura das portas para o roubo do carro.

Essa invasão pode ser feita sem o disparo de alarmes ou arrombamento o que é preocupante, uma vez que se trata de um roubo silencioso.

As ferramentas usadas para a ação geralmente são acessíveis e baratas, sendo encontradas facilmente em sites internacionais.

É aqui que mora o perigo, pois os ladrões podem comprar chaves sem codificação e usa-las para replicar o código de acesso de um determinado veículo.

Os criminosos conseguiam destrancar os veículos fazendo a engenharia reversa do sistema para quebrar o firmware utilizado nas chaves – ou seja, o conjunto de instruções operacionais programadas no hardware do equipamento eletrônico – para ter, dessa maneira, acesso a todo o sistema de travas sem fio.

Um receptor de rádio caseiro que custa cerca de 30 libras é o único equipamento que os hackers precisam para espionar os controles remotos dos modelos alvos e conseguir, assim, destravar as portas dos veículos.

Trancar o carro com a chave normal, em vez de usar o controle sem fio, é uma das formas de se proteger da ação de bandidos.

Mas outros métodos para não abandonar o controle também são possíveis e um deles é embrulhar as chaves em papel alumínio. Especialistas em segurança eletrônica concordam que, embora não seja o ideal, esse é um método muito fácil e barato.

Outra opção é comprar pela internet uma “bolsa de Faraday”, que tem a mesma função de isolamento do alumínio e serve como um escudo contra a transferência de informações que poderiam ser usadas no roubo do carro.

Mecânica Online

Duelo Automotivo

O portal Mecânica Online® lança hoje, às 20 horas, um novo canal no Youtube. Chamado de Duelo Automotivo, o canal vai apresentar toda segunda-feira, no mesmo horário, um comparativo com dois veículos no formato de um duelo. São mais de 30 itens comparados e ao final, apenas um vencedor seguida de análise técnica.

Grupo PSA

Foram cerca de 3,5 milhões de unidades vendidas em 2019 pelo grupo PSA no mundo. Na América Latina a marca sofreu o reflexo dos mercados em retração. As vendas na Argentina caíram (-43%) e no Chile (-11%). O Novo C4 Cactus e a linha de Veículos Utilitários Leves mantiveram seu vigor no México (+13%), no Brasil (+2%) e em mercados menores (Colômbia, Cuba, Equador e Uruguai).

Condição temporária

A BMW do Brasil promove entre os meses de janeiro e fevereiro uma campanha especial de vendas em que concederá a todos os veículos zero-quilômetro comercializados no período um total de três anos — ou 40 mil quilômetros — de manutenção gratuita.

Os melhores carros para os motoristas de aplicativos

De acordo com o estudo produzido pela ValeCard em parceria com a SUIV, em termos de manutenção e consumo, os modelos mais econômicos para quem quer trabalhar como motorista de aplicativo são o Renault Sandero Authentique 1.0, o Volkswagen Up! versão TSi Move e o Fiat Argo Drive 1.0, todos fabricados em 2019. Para a estimativa de gastos com manutenção e combustível, foi considerada uma média de 3.480 quilômetros rodados com o veículo durante um mês (174 quilômetros por dia, em 20 dias de trabalho).


Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.

Coluna Mecânica Online® – Aborda aspectos de manutenção, tecnologias e inovações mecânicas nos transportes em geral. Menção honrosa na categoria internet do 7º e 13º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade. Distribuição gratuita todos os dias 10, 20 e 30 do mês.

Deixe um comentário!

Na década de 1980, caminhão elétrico já era realidade no Brasil Conheça os caminhões mais vendidos do Brasil em novembro Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA