Umicore detalha cuidados com o Catalisador de Redução Seletiva (SCR)

por Blog do Caminhoneiro

Presente na maioria dos veículos a diesel, o Catalisador de Redução Seletiva (SCR) é um dos sistemas mais avançados na conversão de gases nocivos em vapores inofensivos à saúde. Sua função é promover a redução dos óxidos de nitrogênio (NOx) emitidos pelo motor em nitrogênio (N2) e água. Para essa reação de redução ocorrer, é necessária a presença de amônia (NH3), formada a partir de uma solução aquosa de ureia (ARLA 32), injetada antes no sistema. O resultado é a redução de até 95% das emissões de NOx. A Umicore, empresa especialista em tecnologias para o controle de emissões veiculares, faz alguns alertas para que o componente siga funcionando corretamente.

A qualidade do ARLA 32 é fundamental, pois somente os produtos que atendem exatamente a especificação oficial são capazes de garantir a função correta do sistema. Além disso, o reagente tem data de validade, que deve ser respeitada. Um produto de má procedência leva à perda de eficiência do catalisador. “Usar ARLA 32 de origem duvidosa pode levar a problemas na formação adequada de amônia. Um exemplo é que pode ocorrer cristalização, entupindo a face do catalisador, o que gera um alto custo de manutenção e contribui para o aumento da poluição ambiental”, explica Miguel Zoca, gerente de Aplicação de Produto da Umicore.

Mais um ponto essencial é o alerta para uma prática notada no mercado, porém ilegal, que é o uso de emuladores. “Funcionando como um inibidor do sistema ARLA 32, o emulador é um dispositivo que manda um sinal para a central eletrônica como se o veículo estive abastecido de ARLA 32, burlando o sistema, pois não aciona o OBD para indicar que o reagente está em falta, o que compromete o funcionamento do controle de emissões, destaca Miguel Zoca. É importante salientar que rodar sem ARLA 32 ou com ARLA 32 adulterado, além de ser classificado como crime ambiente, pode levar à apreensão do veículo.

Em relação ao combustível, é fundamental o abastecimento com Diesel S10. “Utilizar um combustível que não está especificado no manual do veículo prejudicará o catalisador, devido a uma maior concentração de enxofre, levando à falha no componente, mesmo em modelos novos”, ressalta Miguel Zoca.

Outra dica importante é ficar atento ao sensoriamento do SCR. “Como é um sistema que possui bico injetor, sensores de pressão e sensor de NOx, é interessante verificar todas essas conexões, além do filtro de ar, de óleo, de combustível, e separador de água. Manter as inspeções do veículo em dia é um benefício não só para o meio ambiente, mas também para o bolso do motorista, pois quanto mais tempo sem avaliação para possíveis reparos, maior o custo”, finaliza o especialista da Umicore.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

Escreva um comentário