COLUNA MECÂNICA ONLINE – A evolução da segurança para motorista, passageiros e pedestres

por Blog do Caminhoneiro

O “crash test dummy”, ou boneco antropométrico, é uma peça fundamental no desenvolvimento de um veículo seguro. Trata-se de um instrumento de teste calibrado que é usado para medir o potencial de lesões em todo o corpo que podem ocorrer em colisões de veículos.

Esses bonecos antropométricos simulam a resposta humana a impactos, acelerações, deflexões, forças e momentos gerados durante um acidente.

Transdutores instalados no manequim fornecem os níveis físicos experimentados pelo manequim. Essas leituras são controladas e podem ser repetidas graças ao projeto e contínua calibração e manutenção do “dummy”.

Os dados para o desenvolvimento das respostas do manequim do teste de colisão provêm de medições fisiológicas humanas. Os “dummies” possuem diversos tamanhos-padrão e podem ser usados em diferentes situações de condução.

Para os testes de Latin NCAP são utilizados manequins-padrão de 75 kg e 1,75 metro de altura, que representam a média da população. Crianças são representadas por bonecos que simulam indivíduos de 1,5 ano e 3 anos (com tamanhos e pesos respectivos).

Algumas marcas, por critérios internos, podem realizar avaliações com bonecos de padrões diferenciados, por exemplo, com aproximadamente 1,90 m e 100 kg e 1,45 m e 50 kg, abrangendo pessoas com menores e maiores estaturas.

Os dummies também são utilizados para avaliação ergonômica e posicionamento e facilidade de utilização de cinto de segurança.

Proteção a pedestres – É cada vez maior a preocupação dos fabricantes no desenvolvimento de novos veículos com tecnologias de proteção às pessoas em caso de atropelamento.

Durante o desenvolvimento de um novo produto, os engenheiros de Segurança Veicular realizam testes com a finalidade de monitorar e avaliar quais serão as influências do veículo sobre o pedestre e, se necessário, redesenham componentes do veículo (para-choques, capô, para-brisas e colunas do veículo).

Tudo isso com objetivo de mitigar lesões decorrentes dos impactos, sem comprometer a integridade estrutural do veículo.

Os testes são realizados primeiramente por meio de simulações em realidade virtual. Após isso, são verificados e validados por meio de ensaios reais.

Para esses experimentos, são utilizados máquinas e sensores de última geração, que simulam as diferentes partes do corpo humano.

Há três tipos de avaliações:

1- Impacto da perna:  Teste realizado com velocidade de 40km/h, arremessando objeto que simula a parte superior e inferior da perna, além dos ligamentos dos joelhos, contra vários pontos da parte frontal do automóvel.

2- Impacto da pélvis: Teste realizado com uma velocidade que varia entre 20 e 30 km/h, através de um simulador da parte pélvica que é lançado contra a parte frontal do veículo para registrar e avaliar quais os níveis de lesão a que o corpo estará sendo submetido.

3- Impacto da cabeça: Região mais vulnerável do corpo, crítica e fatal. O teste é realizado com um dispositivo que representa a cabeça de um adulto e de uma criança com massas que variam de 4,5 kg e 3,5 kg respectivamente. A finalidade desse teste é registrar a qual nível de desaceleração a cabeça estará exposta durante a colisão com o capô e para-brisas. Os testes são feitos a velocidades entre 35 km/h e 40 km/h.

Mecânica Online

Transporte – Enquanto o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil teve uma queda de 5,9% nos seis primeiros meses de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado, o do transporte registrou quase o dobro de retração, com -11,3%. Em um semestre marcado pela pandemia da Covid-19, esse foi o pior resultado para o setor desde o início da série histórica das Contas Nacionais Trimestrais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), iniciada em 1996. Além disso, o desempenho do transporte foi duas vezes pior do que o registrado no auge recessão de 2014-2016.

Valorização – A BMW tem três dos dez modelos que mais valorizaram em um ano, no Brasil, de acordo com levantamento feito pela Kelley Blue Book. A metodologia da pesquisa se baseou no acompanhamento dos preços no período entre agosto de 2019 e agosto de 2020 e considerou modelos que não passaram por mudanças de geração em relação ao que era vendido no ano passado, além de modelos com histórico de seis meses de mercado.

Hyundai HR – A CAOA atingiu o marco de mais de 90 mil modelos Hyundai HR produzidos em Anápolis (GO). O sucesso do Hyundai HR está atrelado ao fato de oferecer a maior capacidade de carga da categoria, 1.800 kg, além da isenção da necessidade de o motorista ter uma habilitação especifica para caminhões, podendo ser utilizada apenas a CNH na categoria B, isenção de rodízio nas grandes metrópoles e pedágio igual ao de automóvel devido ao rodado simples no eixo traseiro.


Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário