Renault Radiance – O caminhão dos sonhos apresentado em 2004

Apesar da cor ser muito chamativa, o design e a tecnologia do Renault Radiance chamaram ainda mais a atenção. Há 17 anos, era apresentado o caminhão dos sonhos da Renault, durante a IAA de Hannover, na Alemanha.

O time de desenvolvimento da empresa teve liberdade absoluta para criar o que deveria ser o caminhão do futuro, imaginado em 2004, para os anos seguintes. Apesar de muitas novidades ainda estarem longe de ser lançadas para veículos de produção, foram colocadas no caminhão conceito e se tornaram realidade nos anos futuros.

O desenvolvimento do projeto funcionou como uma acelerador de ideias para a Renault Trucks, para mostrar os caminhos que a empresa deveria seguir nos anos vindouros. Na época, a empresa tinha como carro-chefe o modelo Magnum, e foi especulado que seria o Radiance que substituiria o modelo, mas ele nunca entrou em produção.

A ideia por traz do veículo era um caminhão com um desempenho superior, econômico e que fosse confortável ao motorista. Um dos pontos mais fortes do modelo é a aerodinâmica, cuidadosamente trabalhada para cortar o vento.

A cabine tem uma ampla área envidraçada, inclusive no teto, dando um ar totalmente limpo ao veículo. A dianteira tem grandes faróis, que já eram inteligentes. Eles se adaptavam às condições climáticas e ao tráfego, proporcionando a melhor iluminação para o caminhoneiro, sem atrapalhar outros motoristas.

O caminhão ainda conta com degraus elétricos, que se escondem quando a porta está fechada, câmeras no lugar dos espelhos, algo que só está se popularizando nos últimos anos, direção eletrônica, ou seja, sem a tradicional coluna de direção, algo que é até proíbido em muitos países, mas foi usado para ampliar a tecnologia presente no veículo, além de freios inteligentes, alavanca de câmbio, que é automatizado, retrátil, e cama que pode ser convertida em um sofá, transformando a cabine do veículo em um escritório para o caminhoneiro.

Por dentro, o painel é totalmente minimalista, apenas com as informações necessárias para o motorista, sem distrações. Por fora, ainda recebia lanternas especiais na traseira, que mudavam a intensidade das luzes de freio conforme a força que o motorista exercia sobre o pedal, e rodas e pneus especialmente desenvolvidas para o modelo, fornecidos pela Michelin.

Atualmente o caminhão está em um museu que a montadora mantém na França, como parte do acervo histórico da empresa.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Siga o Blog do Caminhoneiro nas redes sociais

Deixe um comentário!

Oportunidades de emprego para caminhoneiros em todo o Brasil Conheça o mais potente caminhão do mundo! Freighliner Argosy estrelou dois filmes com um visual exclusivo O 1° Scania mais potente do mundo foi adquirido por uma Transportadora francesa AEROSTAR – O caminhão que foi a promessa da International para o Brasil