Mercedes-Benz 1924 alemão está à venda no Brasil

por Blog do Caminhoneiro

Ao menos três unidades do caminhão Mercedes-Benz 1924 foram enviadas da Alemanha para o Brasil nos anos 1970. Uma pertence ao Museu do Corpo de Bombeiros de Brasília, outro foi vendido no sul do Paraná há alguns anos, e uma terceira unidade está a venda, também em Brasília, fabricada em 1970 com cabine dupla e chassi 6×2 de fábrica.

O proprietário, Carlos Eduardo da Silva, nos contou que o caminhão foi comprado há cerca de dez anos, em um leilão de viaturas do Corpo de Bombeiros. Desde então, está guardado. Na época da compra, o veículo já estava sem o sistema de água no chassi, contando apenas com o rádio original que era usado. Ele também disse que eventualmente vai até o local onde o caminhão está guardado e funciona o motor, dizendo que “bateu, pegou”.

De acordo com o vendedor, o caminhão tem apenas 50 mil quilômetros rodados, com todos os componentes originais, como motor, caixa de câmbio e diferencial, e que nada vaza ou apresenta problemas.

“É um caminhão raro, que precisa de um restauração de pintura, e quem sabe, colocar os acessórios de trabalho de quando ele estava na ativa. É um excelente projeto para um colecionador, ou até mesmo alguém que deseje utiliza-lo como guincho, para levar carros antigos”, disse Carlos Eduardo.

Uma curiosidade é que o caminhão nunca foi emplacado no Brasil, e foi recebido pelo Corpo de Bombeiros como uma doação da Alemanha, por isso, no documento, Carlos é o primeiro proprietário do caminhão.

“Um caminhão desse modelo, alemão, com essa quilometragem baixíssima para o ano dele, é algo muito raro, e para mim não se enquadra como um simples caminhão, mas sim como um veiculo antigo, que esta na hora de ser passado para frente”, completou o vendedor.

De acordo com Carlos Eduardo, o valor pedido é de R$ 70 mil, e ele estuda a possibilidade de trocas. Para entrar em contato com o vendedor, use o Whatsapp, pelo número (61) 99135-7713.

A divulgação de veículos raros à venda no Blog do Caminhoneiro é apenas informativa, e não participamos de nenhuma etapa da negociação entre vendedor e comprador.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!