Volvo apresenta o caminhão graneleiro do futuro, desenvolvido no Brasil

Um Volvo FH 6×4 engatado em um rodotrem, em um conjunto único. Esse é o Volvo Efficiency Concept Truck, modelo conceito apresentado pela montadora que apresenta uma série de novas tecnologias. Além da Volvo, participaram do desenvolvimento as marcas Randon, Hyva e Continental, que contribuíram com novas e criativas soluções no implemento, sistema hidráulico e pneus.

O Efficiency Concept Truck recebeu um amplo conjunto de tecnologias inovadoras, voltadas a minimizar o consumo de combustível, aumentar a disponibilidade do veículo e garantir mais segurança para o motorista e para a operação.

Além de um design inovador, que foram desenvolvidas para melhorar a aerodinâmica, a cabine ficou 25 cm mais longa, recebeu amplos defletores de ar, com o dobro do tamanho dos instalados nos Volvo FH convencionais. A frente, mais arredondada, é 175 mm mais avançada que a do modelo padrão. Já o entre-eixos foi reduzido, passando para apenas 3 metros, deixando o implemento mais próximo da cabine e reduzindo a resistência do ar. Com essas mudanças, o tanque de Arla32 e os tanques de ar foram realocados.

Para melhorar a aerodinâmica e ampliar o campo de visão do motorista, foram instaladas câmeras nas laterais da cabine. Essas câmeras exibem imagens em monitores instalados nos pilares A da cabine, em alta resolução.

O super FH também tem suspensão dianteira com molas 30 quilos mais leves; freios a disco; saias laterais; extensores das portas; calotas e rodas de alumínio, tudo voltado para melhorar a aerodinâmica, diminuir peso e melhorar a produtividade. A cabine ficou ainda maior internamente, com uma cama 250 mm mais larga, proporcionando muito mais espaço para movimentação e conforto ao condutor.

“Estamos testando diversos conceitos novos, tanto no cavalo mecânico como no implemento, com nossos parceiros. São melhorias no motor, na aerodinâmica, no gerenciamento de energia e muito mais”, assegura Juliane Tosin, gerente de projetos de engenharia da Volvo e líder do projeto.

Mudanças no motor

O motor também é diferente do FH atual, com muitas melhorias. Ele conta com a tecnologia I-Save, que a Volvo disponibiliza na Europa. O sistema inclui um novo desenho dos pistões, fazendo com que a queima de combustível se concentre no centro dos cilindros, contribuindo para reduzir o consumo.

O I-Save traz também um sofisticado sistema de turbocompressor, que gera torque extra, possibilitando menor rotação do motor em velocidade de cruzeiro em longas distâncias, uma condição ideal em graneleiros.

Outra novidade é um novo tipo de troca do óleo lubrificante, por diferença de pressão, e não por gravidade, como é normalmente feito, o que garante maior agilidade, limpeza e segurança.

Além disso, houve a redução de elementos filtrantes (de três para dois filtros), juntamente com a adoção de um novo óleo, o VDS5, que é menos viscoso e circula com mais facilidade pelo motor, lubrificando mais rapidamente e auxiliando na redução de consumo de combustível.

Energia Solar

O caminhão é um projeto original, por uma série de aspectos. Entre eles, esse é o primeiro a ter um sistema próprio de geração de energia. Um painel fotovoltaico para captação de energia solar e super capacitores foram instalados para abastecer os componentes eletrônicos e garantir aumento da vida das baterias. Outro exemplo inédito é a utilização de uma peça feita em impressora 3D, dando mais agilidade ao pós-venda e antecipando uma tendência que deverá ser gradativamente adotada. Trata-se de um encaixe do suporte do para-lama traseiro, que foi impresso em alumínio mantendo as características do componente original.

“Estamos muito orgulhosos em ter feito o primeiro caminhão-conceito do Brasil. É uma prova do compromisso da Volvo com os transportadores do país, sempre inovando. Vários desses conceitos vão chegar aos nossos caminhões de série no futuro, como soluções de ponta já validadas em nosso mercado, um dos mais severos do mundo”, destaca Fabrício Todeschini, diretor de engenharia de veículos da Volvo no Brasil.

Operação real

O caminhão será usado em uma operação real, na rota dos grãos, partindo do centro-oeste brasileiro com destino aos portos de escoamento da safra. A Volvo escolheu esta aplicação pois o Brasil tem um dos mais competitivos agribusiness do mundo, quebrando anualmente recordes de produção de grãos, a maior parte transportada por caminhões.

“A Volvo é uma marca focada em inovação. Esse caminhão é um laboratório sobre rodas, onde vamos testar tecnologias que chegarão aos veículos de série no futuro. Esse é o primeiro caminhão-conceito construído no Brasil, para a realidade do transporte que temos aqui”, completa Fabrício Todeschini.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

Conheça os detalhes do projeto Roda Bem Caminhoneiro Scania já teve 13 séries especiais no Brasil Conheça a nova série especial da Scania O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia