Caminhão chinês ainda usa cabine de modelo da década de 1970

No ano de 1973, a Mercedes-Benz apresentou na Europa a nova linha de caminhões NG, ou New Generation, que ficou em produção até 1988. Com a nova linha, a montadora expandiu muito sua posição nos segmentos dos médios e pesados. Dessa geração de caminhões, derivaram modelos vendidos nos Estados Unidos e também a linha Schwere Klasse, ou SK, que foi vendida até 1996.

Resumidamente, essa foi a história de duas gerações de caminhões da montadora, que tiveram as cabines derivadas dos mesmo projetos. A primeira durou 15 anos, e a segunda apenas oito. Depois, entraram em produção outros modelos e os modelos NG e SK viraram história.

Nesse período, a tecnologia empregada no desenvolvimento da cabine já havia ficado obsoleta, e mudanças estruturais para atualizar o projeto não seriam viáveis economicamente, além do modelo não poder receber algumas tecnologias e também ficar defasado em questões de segurança.

Mas para a Beiben, uma montadora chinesa fundada em 1988, a história dessas cabines segue até hoje. A montadora produz uma linha completa de caminhões médios e pesados, que, apesar de algumas mudanças no design, usam a mesma cabine produzida pela Mercedes-Benz nos anos 1970.

Essa montadora nasceu como uma joint venture entre a Daimler-Benz e a Beiben, para produção de caminhões em CKD na China. Em alguns anos, a montadora começou a produzir completamente os veículos, e hoje em dia fabrica cerca de 40 mil caminhões por ano.

Produzidos com autorização da montadora alemã, os caminhões Beiben fazem bastante sucesso nas exportações, principalmente para países da África, onde praticamente não existe legislação de segurança veicular ou de emissões.

Para atender os mercados africanos, os modelos também estão disponíveis com direção à direita, e recebem um painel de instrumentos, em todas as versões, com um visual mais moderno.

Alguns modelos recebem o “Benz” no nome. É o caso do NORTH BENZ 6X4 Lorry Truck ND1255B50J, equipado com motor Weichai WP10.290E32, com dez litros de cilindrada e potência de 290 cavalos, com nível de emissões Euro II ou Euro III, a pedido do cliente, e conta com transmissão manual Fuller.

A montadora também oferece modelos com uma cabine mais moderna, porém, devido ao sucesso de vendas na África, a história das cabines NG ainda está longe do fim.

Comparação do design dos interiores do modelo SK e o Beiben:

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

Auxílio de R$ 1.000 para caminhoneiros é aprovado Conheça os detalhes do projeto Roda Bem Caminhoneiro Scania já teve 13 séries especiais no Brasil Conheça a nova série especial da Scania O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu