CEO de empresa gigante pede que governo norte-americano facilite entrada de imigrantes para trabalharem como caminhoneiros

por Blog do Caminhoneiro

Nos últimos dias, a falta de caminhoneiros nos Estados Unidos está sendo um assunto muito ativo, devido a problemas na cadeia logística do país, com portos com problemas para escoar cargas e receber navios, além de entregas que não são realizadas a tempo.

De acordo com a American Trucking Associations, atualmente são necessários mais 80 mil caminhoneiros no país para ter um ambiente ideal para o transporte de cargas. Esse número é obtido com estudos entre os motoristas trabalhando atualmente e o número ideal para atender ao aumento da demanda. A entidade também afirma que a escassez de motoristas cresceu 30% desde 2018, especialmente com o crescimento da economia depois dos efeitos iniciais da pandemia.

Para Robert Biesterfeld , CEO da CH Robinson Worldwide, uma gigante do setor de logística dos Estados Unidos, a solução para o problema tem dois caminhos, um imediato e outro para os próximos anos.

O primeiro passo seria a facilitação da obtenção de vistos para estrangeiros que queiram trabalhar nos Estados Unidos como caminhoneiros.

“Se você observar o perfil dos motoristas de caminhões, verá que há uma tendência muito forte para os imigrantes. O transporte rodoviário é um ótimo trabalho para as pessoas que querem vir para este país, começar um negócio e trabalhar por conta própria”, disse o executivo, em entrevista à rede de televisão CNBC.

O executivo afirma que estudos mostram que após 2030, serão necessários mais de um milhão de novos caminhoneiros para atender à demanda futura do segmento de transporte.

Outro executivo, Ritch Allison, que é CEO da Domino’s Pizza, disse que o crescimento orgânico da população dos Estados Unidos não sustenta o crescimento da economia.

“É um desafio. Nos Estados Unidos, com crescimento populacional mínimo orgânico, precisamos da imigração em nosso setor para continuar a ter membros de equipe suficientes”, disse Allison, em entrevista recente.

Apesar da contratação de estrangeiros ser uma possível solução para o problema no curto prazo, para o futuro, os executivos do transporte estão apostando forte na automação dos caminhões.

Esse seria o segundo passo, definitivo, para encerrar o problema de uma vez por todas. Apesar disso, o uso de caminhões autônomos ainda esbarra na legislação e também nas limitações da tecnologia.

“Certamente pensamos que haverá um futuro mais autônomo no transporte rodoviário. Temos a tendência de pensar que isso é um pouco mais distante no futuro, mas estaremos prontos para isso com a nossa empresa”, disse Robert Biesterfeld.

Para sanar temporariamente os problemas na cadeia de abastecimento na costa-leste, onde existem filas de navios nos portos para descarregar, a administração Biden estendeu os horários de direção dos caminhoneiros. Apesar de ser uma medida importante, essa alteração só tem efeito localmente, e não funciona para todo o restante do país.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!