CONHEÇA: Caminhão Diamond REO 1990 foi transformado no Gigante Vermelho

Bryan Dax foi caminhoneiro por muitos anos nos Estados Unidos. Ele vive em Two Rivers, no estado norte-americano do Wisconsin, e, em 1990, comprou aquele que pode ter sido um dos últimos caminhões rodoviários produzidos pela Diamond REO.

Oficialmente, a montadora fundada em 1967, com a fusão da Diamond T e da REO Trucks, foi extinta em 2013. A empresa é mais conhecida pela ampla gama de caminhões militares produzidas para operações em todo o mundo, mas também produziu, com certo sucesso, linhas de caminhões rodoviários.

Em 1990, esses caminhões eram feitos somente por encomenda, e demoravam para ficarem prontos. Quando novo, o modelo 6×4 tinha um comprimento de 6,6 metros, e era impulsionado por um motor Caterpillar 3406B, com potência de 425 cavalos, com câmbio manual de 18 velocidades. Em 2005, o caminhão marcava 2,6 milhões de milhas rodadas (4,184 milhões de quilômetros).

Em uma conversa com um amigo, o boxeador Roy Jones, surgiu a ideia de usar o caminhão como um outdoor móvel. Inicialmente, o caminhão foi usado para fazer uma surpresa para o filho do lutador, com uma foto no implemento. Como publicidade paga bem, o amigo disse para Bryan que deveria usar o caminhão para ganhar dinheiro assim.

Então nasceu o The Red Giant, ou Gigante Vermelho. Em uma oficina especializada, o proprietário pediu para os mecânicos dar anabolizantes para o caminhão. O orçamento inicial era de US$ 75 mil, mas, como o projeto cresceu, e muito, o valor total gasto foi de US$ 750 mil, dez vezes mais.

Hoje em dia, o cavalo mecânico mede mais de 10 metros, e é engatado em um implemento longo, totalizando 28 metros de comprimento de para-choque a para-choque, com peso total de 32,6 toneladas. Para suportar o aumento do comprimento do chassi, o Diamond REO ganhou um eixo extra, praticamente sob o meio do chassi, entre os tanques de combustível.

A cabine gigante tem muito espaço para descanso, e nas laterais externas foram posicionados dois telões de 3,35 x 1,82 metros, totalizando 6,09 m² de área, que são usados para mostrar publicidades de diversas empresas, controladas por um computador instalado dentro da cabine.

A cabine tem piso de madeira, banheiro completo, camas, geladeira, fogão, micro-ondas, mesa, ar-condicionado central e muito mais detalhes.

O caminhão não pode rodar com nenhuma carga, devido ao peso que tem vazio, mas é usado como atração em diversos shows por todo o país, ano após ano. E pagando bem, sua marca pode estampar a gigantesca carroceria vermelha.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal CAMINHONEIRO SEGUE TRABALHANDO AOS 90 ANOS DE IDADE