CONHEÇA: Caminhão Diamond REO 1990 foi transformado no Gigante Vermelho

por Blog do Caminhoneiro

Bryan Dax foi caminhoneiro por muitos anos nos Estados Unidos. Ele vive em Two Rivers, no estado norte-americano do Wisconsin, e, em 1990, comprou aquele que pode ter sido um dos últimos caminhões rodoviários produzidos pela Diamond REO.

Oficialmente, a montadora fundada em 1967, com a fusão da Diamond T e da REO Trucks, foi extinta em 2013. A empresa é mais conhecida pela ampla gama de caminhões militares produzidas para operações em todo o mundo, mas também produziu, com certo sucesso, linhas de caminhões rodoviários.

Em 1990, esses caminhões eram feitos somente por encomenda, e demoravam para ficarem prontos. Quando novo, o modelo 6×4 tinha um comprimento de 6,6 metros, e era impulsionado por um motor Caterpillar 3406B, com potência de 425 cavalos, com câmbio manual de 18 velocidades. Em 2005, o caminhão marcava 2,6 milhões de milhas rodadas (4,184 milhões de quilômetros).

Em uma conversa com um amigo, o boxeador Roy Jones, surgiu a ideia de usar o caminhão como um outdoor móvel. Inicialmente, o caminhão foi usado para fazer uma surpresa para o filho do lutador, com uma foto no implemento. Como publicidade paga bem, o amigo disse para Bryan que deveria usar o caminhão para ganhar dinheiro assim.

Então nasceu o The Red Giant, ou Gigante Vermelho. Em uma oficina especializada, o proprietário pediu para os mecânicos dar anabolizantes para o caminhão. O orçamento inicial era de US$ 75 mil, mas, como o projeto cresceu, e muito, o valor total gasto foi de US$ 750 mil, dez vezes mais.

Hoje em dia, o cavalo mecânico mede mais de 10 metros, e é engatado em um implemento longo, totalizando 28 metros de comprimento de para-choque a para-choque, com peso total de 32,6 toneladas. Para suportar o aumento do comprimento do chassi, o Diamond REO ganhou um eixo extra, praticamente sob o meio do chassi, entre os tanques de combustível.

A cabine gigante tem muito espaço para descanso, e nas laterais externas foram posicionados dois telões de 3,35 x 1,82 metros, totalizando 6,09 m² de área, que são usados para mostrar publicidades de diversas empresas, controladas por um computador instalado dentro da cabine.

A cabine tem piso de madeira, banheiro completo, camas, geladeira, fogão, micro-ondas, mesa, ar-condicionado central e muito mais detalhes.

O caminhão não pode rodar com nenhuma carga, devido ao peso que tem vazio, mas é usado como atração em diversos shows por todo o país, ano após ano. E pagando bem, sua marca pode estampar a gigantesca carroceria vermelha.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!