Indústria de implementos vai bater meta de 156 mil unidades vendidas em 2021

por Blog do Caminhoneiro

Mesmo com dois dias a menos do que novembro, o mês de dezembro deverá ter bons números de vendas de implementos rodoviários, o que vai contribuir para os emplacamentos totais superarem a marca de 156 mil unidades neste ano. A previsão foi feita pela ANFIR (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários) no segundo semestre desse ano.

“Mesmo com menos dias úteis para se trabalhar a indústria deverá atingir a previsão por conta da espiral positiva de negócios em que nos encontramos”, diz José Carlos Spricigo, presidente da ANFIR.

Entre janeiro e novembro, foram emplacados 147.740 implementos rodoviários, o que representa um crescimento de 35,67% sobre o mesmo período de 2020.

O setor atende os mais variados segmentos da economia e tem no agronegócio e na construção civil seus maiores focos de atividade. O desempenho positivo de ambos ao longo de 2021 refletiu nas atividades da indústria de implementos rodoviários.

Segundo Spricigo, o segmento de Reboques e Semirreboques apontou os primeiros reflexos desde o início do ano. Já o setor de Carroceria sobre chassi registrou crescimento a partir do segundo semestre.

“Essa dinâmica é natural porque a economia nas cidades, mais ligada ao mercado de varejo, reage na sequência do campo”, explica o presidente da ANFIR.

O redução no ritmo dos negócios causado pela eventual falta de matérias-primas e componentes não deve comprometer o desempenho final do setor.

“A expectativa é apresentarmos crescimento em torno de 30%”, diz Spricigo.

Vendas por segmentos

Os fabricantes de implementos rodoviários entregaram 82.188 unidades do setor de Reboques e Semirrebiques. O volume corresponde ao acumulado de janeiro a novembro de 2021 e representa crescimento de 36,87% com relação ao mesmo período do ano passado.

No segmento de Carroceria sobre chassis a indústria distribuiu 65.552 implementos rodoviários. Esse é o total apurado de janeiro a novembro desse ano e representa crescimento de 34,19% ante igual período de 2020.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!