Atego 1719 equipado com transmissão automática Allison amplia produtividade de empresa de Santa Catarina

por Blog do Caminhoneiro

A empresa Racli Limpeza Urbana, de Criciúma, cidade localizada a 190 quilômetros da capital de Santa Catarina, tem preferência pelo uso de caminhões equipados com transmissões totalmente automáticas Allison. A empresa adquiriu cinco unidades do Mercedes-Benz Atego para coleta de lixo, equipados com as transmissões totalmente automáticas Allison da Série 3000.

A empresa, especializada na coleta de resíduos sólidos urbanos e limpeza pública, atende atualmente a doze municípios da região sul de Santa Catarina. Contam com uma frota de 80 caminhões compactadores, dos quais nove estão equipados com as transmissões totalmente automáticas Allison.

“Dos modelos automáticos anteriores que temos, três são Volkswagen Constellation e um é Mercedes-Benz Atego, todos com motorização de seis cilindros. Agora, com a chegada dos Atego de quatro cilindros, estamos avaliando alguns itens que influem diretamente no custo/benefício das nossas operações: preço inicial do veículo, menores custos de manutenção e consumo de combustível”, explica Rogério Espindola de Jesus, Encarregado de Operações da Racli.

“Mais uma vez optamos pelos caminhões equipados com as transmissões Allison pela sua grande confiabilidade e robustez. Os Volkswagen que temos já há algum tempo nunca nos deram nenhum tipo de problema, comprovando que elas são a melhor opção de mercado que temos no momento”, diz Jesus.

A Racli ainda ressalta que em comparação com os modelos com transmissão manual as vantagens são maiores ainda, já que todo o sistema de embreagem tem que ser substituído no máximo a cada seis meses – isso, contando com a sorte de se chegar a esse prazo. O custo dessa manutenção, juntamente com o tempo parado para os reparos necessários, são os maiores problemas dos caminhões de coleta de resíduos manuais. Outra vantagem é a facilidade de utilização da transmissão automática, o que elimina 100% dos danos que poderiam vir a ser causados pela má utilização dos motoristas com menor experiência.

“Os caminhões com as automáticas Allison também se sobressaem no anda-e-para da coleta em situações de topografia muito acidentada. Em Blumenau, por exemplo, onde 90% da cidade tem subidas extremamente íngremes, ela é excelente nas arrancadas. Um caminhão manual nessa situação é impensável”, complementa Jesus.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!