Volvo chega à marca de 50 mil chassis de ônibus produzidos no Brasil

por Blog do Caminhoneiro

Há quarenta e três anos, a Volvo produzia seu primeiro veículo brasileiro, um B58, chassi de ônibus voltado para operações rodoviárias. De 1979 para cá, outros 49.999 chassis de ônibus foram produzidos pela marca, chegando, na última semana, às 50 mil unidades.

“A revolução que começou com o B58 inspirou a Volvo a lançar vários modelos rodoviários e urbanos, cada vez mais avançados em tecnologia e sempre com foco em segurança, qualidade e respeito ao meio ambiente, valores fundamentais da nossa marca”, afirma Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America.

Hoje, a unidade de Curitiba é referência global em eficiência e qualidade dentro do Grupo Volvo, com aprimorados conceitos de indústria 4.0. “Nossos processos são altamente digitalizados, com uso intenso de dados, simulação e realidade virtual para desenvolvimento dos processos e das pessoas”, assegura Marcelo Bruel, gerente de produção de ônibus da Volvo no Brasil.

Inovação desde o início

Em 1979, o chassi B58 traz conceitos muito à frente do seu tempo. Com motor central, privilegiava o espaço e conforto dos passageiros tanto na versão rodoviária quanto urbana. Um ano após seu lançamento, a Volvo apresenta a versão articulada para Curitiba, que posiciona a marca como pioneira em sistemas de transporte de alta eficiência. Sucesso global, os sistemas BRT estão hoje em 179 cidades dos cinco continentes, segundo o BRT Data.

Em 1986, a Volvo apresenta um novo chassi, incialmente para operações rodoviárias. Era o B10M, um produto global, com a mais avançada tecnologia disponível naquela época. Traz chassi totalmente soldado e suspensão 100% pneumática, garantido elevado conforto.

Biarticulado

Em 1992, o ônibus biarticulado é uma grande inovação no mercado de urbanos, em especial para sistemas BRTs. Inicialmente para 250 passageiros, o biarticulado transporta um número maior de pessoas, eleva a agilidade e a eficiência com menor custo operacional.

Em 1994, a Volvo introduz no país o B12. Além de ser o mais potente do mercado à época, seu motor ficava na parte traseira, uma novidade para a marca. Os volumes crescentes de vendas favoreceram o início da produção do B12B na fábrica brasileira, a partir de 1997.

Um ano depois, em 1998, chega o B7R para o mercado de urbanos, fretamento e rodoviários de médias distâncias. Com motor traseiro e chassi leve, tinha estrutura de aço robusta com face superior plana, o que permitia uma variedade ampla de carrocerias. Em 2000, chega a versão de piso baixo do modelo.

Eficiência em BRTs

Em dezembro de 2000 começa a operar em Bogotá, Colômbia, o BRT Transmilenio com 14 ônibus articulados Volvo em seu primeiro corredor. Nos anos seguintes, o Transmilenio se consolidaria como um dos maiores BRTs do mundo, sempre com a presença forte da Volvo.

Em 2003, a Volvo lança o B12R, chassi rodoviário de alta tecnologia, com novos motores eletrônicos e arquitetura de dados que interliga todos os sistemas do veículo. Inclui ainda a caixa eletrônica I-Shift, freio a disco com EBS e controle eletrônico de estabilidade.

Eletromobilidade

Em 2007, a marca lança os chassis B9R e o novo B12R com o BEA-2, a nova versão do Bus Electronic Architeture, que integra em rede recursos como EBS, ESP, freios ABS, freio motor VEB e a caixa eletrônica I-Shift.

Pioneira em eletromobilidade, em 2011 a Volvo testa seu ônibus híbrido no Brasil e anuncia a produção do modelo B215RH em sua fábrica brasileira. É também em 2011 que a empresa apresenta seu ônibus com motor dianteiro, o B270F, que atende nichos importantes dos mercados de urbanos, intermunicipais, rodoviários de médias distâncias e fretamento.

Em 2012, uma nova geração de motores passava a equipar os modelos rodoviários da marca. Surgia o B450R, o mais potente ônibus do mercado, com 450 cv.

Em 2017, a Volvo apresenta o novo chassi urbano B250R. O modelo possui motor mais potente e econômico e traz de série os softwares de conectividade Volvo, como sistemas de gerenciamento de frota e de tráfego.

Cada vez mais seguros

Em 2018, Curitiba recebe a última geração de biarticulados Volvo. Com alto grau de conectividade, os veículos trazem o exclusivo recurso de controle de velocidade por região: por meio de monitoramento remoto e geolocalização, o operador do sistema limita a velocidade em áreas pré-definidas. No primeiro ano de operação o sistema reduziu as colisões em 50%.

Em 2019, chega a nova geração do Sistema de Segurança Ativa da Volvo. Um radar anticolisão capaz de freiar o veículo sozinho e um sistema de monitoramento de faixa são exemplos de tecnologias que ajudam a evitar acidentes com ônibus rodoviários.

Em 2021, a Volvo introduz os novos chassis rodoviários B420R+ e B450R+, modelos que seguem a vanguarda de inovação da marca com uma nova geração da transmissão I-Shift e tecnologia de Aceleração Inteligente, que os tornam ainda mais econômicos.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!