PRF mantém fiscalização ativa para evitar caminhões com suspensão irregular

por Blog do Caminhoneiro

Tema que ganhou muitas notícias nas últimas semanas, a famosa traseira arqueada de caminhões segue sendo fiscalizada com rigidez pela Polícia Rodoviária Federal, que respondeu à solicitação do Blog do Caminhoneiro sobre o tema. De acordo com a Coordenação-Geral de Comunicação Institucional da PRF, o principal foco é nas alterações realizadas de forma irregular.

Apesar de controversa, a alteração é regulamentada pelo Contran, por duas resoluções, a Resolução nº 292/08, que foi alterada pela Resolução nº 479/14. As textos permitem a alteração, mas existem limites que precisam ser seguidos para qualquer veículo com mais de 3.500 kg que sofram a alteração:

  1. Que o nivelamento da longarina não ultrapasse dois graus a partir de uma linha horizontal;
  2. Que o proprietário do veículo obtenha um Certificado de Segurança Veicular (CSV), emitido por uma Instituição Técnica Licenciada (ITL) credenciada pelo INMETRO, mediante inspeção de segurança veicular que comprove a segurança da alteração do sistema de suspensão;
  3. Que a informação referente à alteração do sistema de suspensão seja registrada pelo DETRAN no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV).

A PRF também destaca que outra modificação, o rebaixamento da suspensão dianteira, não é permitido. Isso é estabelecido pela Resolução nº 292/08. Muitas vezes, os caminhões com a traseira elevada tem a suspensão dianteira rebaixada, visando aumentar a inclinação das longarinas do chassi.

A elevação da traseira em caminhões geralmente é feita com arqueamento de molas, aumento da quantidade de lâminas das molas ou colocação de calços no sistema de suspensão. Já a alteração na suspensão dianteira se dá pela remoção de parte das lâminas das molas, instalação de suspensão a ar ou substituição do eixo.

“Visando garantir a segurança do trânsito, a Polícia Rodoviária Federal diariamente realiza ações de fiscalização para combater o trânsito de caminhões com alterações irregulares no sistema de suspensão. Além da conferência de regularidade da documentação referente à alteração (emissão de CSV e registro da alteração no CRLV), é feita também a medição da inclinação das longarinas, a fim de se verificar se esta não ultrapassa dois graus. Tal medição é feita com base no Anexo II da Res. 479/14 CONTRAN”, disse a PRF, no comunicado enviado ao Blog do Caminhoneiro.

Caso os veículos fiscalizados estejam em desacordo com as resoluções do Contran, por inclinação da longarina superior a dois graus ou ausência de emissão do CSV e registro da alteração no CRLV, os motoristas são autuados com base no art. 230 VII do CTB, que é Conduzir o veículo com a característica alterada.

Essa é uma infração de natureza grave, cuja medida administrativa é a retenção do veículo. Considerando que irregularidades no sistema de suspensão constituem risco à segurança do trânsito, veículos flagrados nesta situação são, além de autuados, retidos e recolhidos ao pátio, de onde somente são liberados após a regularização da infração, com o retorno do sistema de suspensão às condições originais.

Por fim, a PRF destaca que o trânsito de caminhões com a traseira elevada constitui grave risco à segurança viária, haja vista que tal prática altera a estabilidade do veículo, aumentando o risco de tombamentos e saídas de pista. Além disso, reduz a eficiência do para-choque traseiro em caso de colisões traseiras, agravando as lesões e aumentando a probabilidade de morte de ocupantes de veículos que sigam à sua retaguarda, pelo chamado “efeito guilhotina”.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

26 comentários

JEANZAO 16/02/2022 - 20:23

Sei lá. Errado tá nos exageros. E da estabilidade com mais feixes de mola já tem engenheiro provando que é verdade, basta procurar estudos aprofundados, nao apenas narrativas. Mas seria ótimo se a PRF agisse com a mesma eficácia e vontade que tão empreendendo nesse tema para inibir os furto de carga e caminhão, nós ladrãozinho de beira de pista, os “nóias”, as vazadas de cargas nós porto , e não apenas em distribuir multas. Quantas amanhecida já tiveram sem módulo de caminhão, farol dianteiro, vidro quebrado pra roubar os pertences em patio de posto, isso ninguém tem falado ou virado notícia. Apenas reclamação em rodinhas de prosa de caminhoneiros

Reply
Mmmm 10/02/2022 - 17:17

Um erro não justifica outro. Alguns caminhoneiros (que é diferente de motorista) querem defender a bunda empinada apontando outros erros… Cada um cuida do seu.
Traseira arqueada tá errado e pronto.

Reply
Roberto 07/02/2022 - 02:22

No acidente de pai e filho até poderia ter acontecido sim a batida porém a carroceria pegaria a Gaiola do motor e não o parabrisa da boléia…. é questão de observação….se seria fatal ou não aí é outra conversa, mas engenheiros estudaram anos projetando um caminhão pra depois ser alterado por um mecânico de molas. É simples….siga a regra e ponto.

Reply
Álvaro tavares 06/02/2022 - 06:24

Alvaro

Reply
Laercio Borges 06/02/2022 - 01:16

Olha , comentário é fácil de fazer, todo mundo só culpa caminhões e caminhoneiros por acidentes que acontecem, porém ninguém fala desses motoristas de carro, que andam a 200 por hora nas rodovias fazendo ultrapassagens perigosas e ainda batem na traseira porque correm de mais, ninguém fala em colocar tacografo em carros , quando bate um carro e as pessoas morrem não dá ibope de jeito nenhum, mas quando é um caminhão, no caso daquele pai filho ,aí a polícia cai em cia , a imprensa, e outros abestados que bem sabe o que é um caminhão, no caso do acidente acima citado, foi uma fatalidade e ao mesmo tempo por falta de prudência do rapaz que morreu, ele bateu porque estava muito próximo do veículo da frente, e mesmo que o caminhão não estivesse com a traseira alta tinha acontecido do mesmo jeito, quando se bate num caminhão se bate por inteiro, pois a carroceria está rente com a ponta do chassis e parachoque, não tem como atingir primeiro a carroceria do caminhão. e outra, sou motorista ,já trabalhei com caminhão com a traseira erguida passada no inteiro, e afirmo que o caminhão fica mais firme nas curvas e não perde estabilidade como estão falando, fala isso quem não conhece , sou contra arquiar de mais como estão fazendo para se mostrarem, mas para trabalhar estando dentro do padrão de arquivamento não tira a estabilidade. Tenho 34 anos de profissão e nunca tive problema nenhum em estrada nenhuma.

Reply
Getúlio 04/02/2022 - 19:27

Concordo que tem muito palpite sim,mas Caminhão não é pra passear e sim trabalhar,tem que ser original de fabrica sem alterações,pois foram os engenheiros e não palpiteiros que desenvolveiro os projetos seguros,o resto é só curioso metido a sabidão.

Reply
Getúlio 04/02/2022 - 19:19

Se. Jonair,espero que o senhor esteja bem ,mas não é sobre causar o acidente em si, é sobre sobreviver em caso de um acidente com esse tipo de caminhão alterado.
Com o caminhão levantado não há a menor chance de sobrevivência se um veículo bater atrás,isso foi comprovado com o acidente ocorrido com Pai e Filho recentemente,onde o Pai sobreviveu porque o caminhão que ele bateu não estava alterado, já o seu filho não teve a mesma sorte, porque o caminhão do seu Pai estava com a traseira levantado e a cabine foi totalmente destruída.
Fora isso e se cumprindo rigorosamente as leis de trânsito,acho que cada um tem que cuidar da sua vida mesmo.
Boa sorte.

Reply
Joao paulo 04/02/2022 - 14:13

Só servem para causar acidentes graves com terceiros, não conseguem fazer curvas pois tombam atrapalham o trânsito pois teem q quase para em curvas , e acham pouco colocam um farol no rabo do caminhao iluminando o nome do namorado e ofuscando quem vem atrás

Reply
Digdigdigbh (@digdigdigbh) 04/02/2022 - 13:49

E quando um caminhao bate da graseia do outro, como o do filho que bateu no caminhao do pai? Arquear a traseira é a maior idiotice da face da terra. Isso sobrecarrega os freio dianteiros, suspensão, piora estabilidade e sem contar o risco de quem bate na traseira! PRF tem que meter a caneta mesmo, sem dó!!!

Reply
Jonair 04/02/2022 - 09:36

Tenho um caminhao e nao faço a alteraçao…acho que e gosto…vamos lembra que ate um farol que voce coloca no seu carro ou caminhao que nao e o de lei ….voce ta Fazendo alteraçao …acidente acontece vejo muito acidente nas estrada….acho que uma trazeira erguida nao causa acidente…e sim a falta de atençao….entao deixa o pessoal ergue ou abaixar…vao cuida da sua vidas e dos seus automovel ou caminhao e parem de se mete na vida dos outros

Reply
Maurício 04/02/2022 - 09:36

Não é só de automóveis. Tem dado diversos engavetamento com carretas e caminhões batendo na traseira dos veículos parados a frente, muitas vezes com carro pequeno no meio onde todos vem a óbito. A maioria dos acidentes graves com colisões traseiras envolvem caminhão.

Reply
Paulo 04/02/2022 - 08:16

Tem muito técnico nesse país, mas falta gente para trabalhar, tenho certeza de que nenhum desses palpiteiros trabalhou num caminhão para saber da realidade que vive um motorista.
Se vcs tivessem noção do valor do serviço de um caminhoneiro não estariam falando tanta bobagem…
Caminhão não foi feito para bater na traseira!!!

Reply
Emerson William De Paula 03/02/2022 - 21:48

Tem que notificar, deixar o veículo retido no posto de Fiscalização seja ele PRF ou BPRV estadual mais próximo pra executar o serviço com a caracterização original no local da apreensão, deixar de reclamar do Diesel que está caro pois uma modificação dessas requer recursos então vocês em particular têm que ter dinheiro de sobra pro combustível, pois com essas modificações hoje em dia até um caminhão se bater atrás de uma carroceria nessa altura terá seu parabrisa atingindo e podendo levar o condutor a óbito, pois não será mais o parachoque quê irá segurar o veículo por trás e sim a carroceria. O CTB terá que imediatamente uma lei impedindo essas modificações, pois virou moda, agora imagina um automóvel de passeios bater atrás de um infeliz desses? Ele com certeza irá parar no eixo do caminhão sendo pra um acidente fatal, são verdadeiros assassinos da estrada.

Reply
Silomar Luis Mueller 03/02/2022 - 19:28

Muitos comentários a respeito de caminhão erguido ou baixo . só não sei porque os caminhões agora tem que ser todo reforçado e baixo pra segurar os carros que batem atrás .se existe uma lei de distância de seguimento é só manter a distância do veículo da frente .

Reply
FLAVIO DA SILVA NASCIMENTO 03/02/2022 - 18:11

Gato Preto no seu comentário logo acima descreveu com perfeição a situação. Esse caso do pai e filho, muito provavelmente o filho e a nora teriam mais chances de saírem vivos, a carroceria do caminhão da frente entrou acima do capo entra do diretamente na cabine, se estivesse baixa poderia pegar na Longoria, motor, etc, certamente haveria maior chance de sobrevivência. Desejo que esse pai se recupere e consiga seguir sua vida em paz.

Reply
Jian 03/02/2022 - 13:37

Caminhão não foi feito pra bater atrás, se motoristas de automóveis andasse na velocidade da via não teria colisão traseira, o Inmetro faz a inspeção de caminhões vazio, a PRF faz a verificação carregado ou seja o veículo nunca vai estar na altura que foi legalizado, dianteira de caminhão com o peso ela baixa porque é mais fraco de molas na dianteira o grau de elevação muda, estão apreendendo veículos porque estão 1cm fora do grau isso pra mim é palhaçada, e só pra constar que alterar traseira não muda nada o sistema de freio igual estão falando, resumindo: na pandemia heróis, agora uma máquina de matar.

Reply
Luciano 03/02/2022 - 10:54

Não sou caminhoneiro, porém me desloco com muita frequência pela BR 364 trecho Vilhena Porto velho em Rondônia, única rodovia, que corta todo o Estado… Repleta de caminhões.
Meus amigos, quando estamos.em.velocidde de cruzeiro seguindo um caminhão com traseira elevada, dentro de um sedã, inserido em um comboio de dezenas de caminhões, a sensação e de Pânico.
Qualquer alteração de velocidade o bordo da carroceria aparece limpo na altura do teto do veículo.
E como se fosse projetado pra matar quem vem atrás.
Em um impacto na traseira de um caminhão alterado, o veículo e guilhotinado… Sem chances pra nada

Reply
Miro 03/02/2022 - 10:43

Esses caminhões com a carroceria erguida parece uma cadela no cio, com a cola em pé kkkkkkkk…

Reply
ROZAN SAMPAIO 02/02/2022 - 21:24

Ñ concordo e ñ discordo, pois tem automóvel baixo que atrapalha o trânsito também pois muito baixo tem dificuldade de transitar devido às condições do pavimento, mas é gosto.E o parachoque traseiro é pra evitar possíveis acidentes ñ para bater se manter distância segura do veículo a frente , mas muito insiste em andar colardo no veículo da frente que também é infração de trânsito.

Reply
V.Silva 02/02/2022 - 15:49

Parabéns a PRF pela fiscalização. É preciso acabar com essa moda irresponsável.

Reply
Luis Fernando Flores 02/02/2022 - 12:53

Se foi projetado e saiu de fábrica, não tem que mudar,
E as leis elaboradas para atender certos grupos não deveria existir.
Devem ser responsabilizados quem cria e aprova tais absurdos destes.

Reply
Ramon Pereira Pires 02/02/2022 - 08:16

É muito pirigoso mas só não da acidente em numero relevante com esse pessoal… lembrando que acidente pode acontecer com qq pessoa… mas é a lei aquela, o pessoal compra os veículos só não são donos, e tem gente q se conforma com isso…

Reply
Gato Preto 01/02/2022 - 18:33

Verdade, a LEI da gravidade não pode ser mudada nem contestada!
Quanto maior o centro de gravidade, menos a resistência ao tombamento!
Alguns afirmam que fica mais bonito, tem gosto pra tudo não é?!
Pelo que li há muito tempo, essas alterações se deram no NE onde transportadores de frutas, elevavam a traseira do caminhão para carregar menos peso onde a altura máxima de 4,4 mts, permitida por lei era atendida sem a necessidade de AET, e assim carregando menos carga e consequentemente menor peso

Reply
Gato Preto 01/02/2022 - 18:23

Lamentavelmente os órgãos de fiscalização só atuam apos muitos acidentes desse tipo!
Faz tempo que vi um acidente com um ônibus na BR-381 onde o mesm colidiu na traseira de um desses “ignorantes” que estava com seu caminhão com a traseira elevada e, a traseira do caminhão adentrou na cabine do ônibus.
Não sei se ocorreu o óbito do motorista do ônibus, pois não tenho costume de parar para ver a situação, exceto se for preciso ajudar.
Esse acidente aconteceu durante o período noturno, pois o dia estava lareando quando passei pelo acidente.
Se houvesse uma fiscalização mais constante e sistêmica, certamente a redução dessa barbárie seria diminuída significativamente, mas com se faz vistas grossas, vai morrendo muitos tanto pelo abuso dos proprietários que alteram a suspensão quanto pelas autoridades que deveriam fazer a fiscalização e retirada dessas aberrações das nossas rodovias!
Lamento pela morte do menino e sua esposa que colidiu na traseira do caminhão do pai, mas isso serve de alerta para que haja uma maior conscientização dos que operam em descompasso com a lei!
Não tem outro nome a dar a esses que assim agem a não ser fraudadores da lei, assassinos em potencial e abusador do direito dos outros, só pensam neles!
São tantas as aberrações que fica difícil descrevê-las, algumas dá para lembrar;
. Lâmpadas de farol que não servem para iluminar, mas para cegar.
. Iluminação lateral (vigias) cm lâmpadas claras onde a lei exige âmbar (nas cores laranjadas)
. Iluminação vermelha no interior da cabina afixada no para-brisa
. Monte de lanternas coloridas na traseira do caminhão em desacordo com a lei.
. Iluminação na cor vermelha na frente do veiculo, onde só pode a iluminação na cor clara, ou âmbar para sinalizar mudança de direção.
. Buzinas com volume acima do permitido por lei, onde a intensidade do som “decibéis” é usada para e não para alertar, passam por tuneis e abrem as buzinas de “navios” com a intenção de ensurdecer e ou assustar os demais motoristas que por ali transitam!
. Alteração de todo tipo, onde as orientações e testes efetuados pelos engenheiros construtores de veículos estão abaixo da “expertise” desses que se julgam entendedores desde capação de bode até energia nuclear!
. Não deveria ser assim tudo seria menos traumático se todos seguissem as orientações da engenharia e das LEIS.
Por fim, que as autoridades assumam suas responsabilidades e fiscalizem os transgressores da lei!

Reply
Armando Gatti 01/02/2022 - 17:58

Quanto mais perto do solo, melhor a estabilidade.
Por isso os carros de corrida são baixos.
do jeito que fazem, fica sem lastro nenhum.

Reply
Armando Gatti 01/02/2022 - 17:55

Corretíssima a polícia rodoviária federal.
Se o caminhão fosse original, o caminhão do filho e a nora não teria morrido, machucado bastante sim, mas o motor ia pegar na carroceria e não o parabrisa

Reply

Deixe um comentário!