MAN reinicia produção de caminhões na Europa

A MAN anunciou hoje que vai reiniciar a produção de caminhões na Europa ainda nesta semana. A produção foi interrompida ainda em março, devido à Guerra na Ucrânia, que afetou o fornecimento de chicotes elétricos para os caminhões MAN fabricados em toda a Europa.

“O reinício da nossa produção de caminhões é um sinal muito bom para nossa força de trabalho e nossos clientes. No entanto, ainda não há motivo para euforia. Aproximaremos nossos níveis de produção usuais apenas passo a passo. A produção continua sujeita a grandes incertezas. Se a guerra se deslocar com mais força para o oeste da Ucrânia novamente, podemos ser confrontados com uma nova paralisação. A flexibilidade é e continua sendo a ordem do dia, assim como a rigorosa disciplina de custos”, disse Alexander Vlaskamp, ​​CEO da MAN.

A MAN buscou a fabricação dos chicotes elétricos em outros países, mas, gradualmente, as fábricas da Ucrânia retomam a produção. Devido à dificuldade na produção desses chicotes, os caminhões MAN serão produzidos com menos opcionais e variantes, o que vai limitar o poder de escolha dos clientes.

Paralisação desde 14 de março

A MAN Truck & Bus publicou uma nota informando que a Guerra provocada pela Rússia na Ucrânia tem causado grandes problemas no fornecimento do cabeamento elétrico que equipa os caminhões da marca. A maioria dos chicotes elétricos, usados por veículos de várias montadoras, eram produzidos na Ucrânia.

Como resultado desse problema, desde 14 de março havia uma paralisação total nas fábricas de caminhões em Munique, na Alemanha e Cracóvia, na Polônia, e também significativas paradas de produção nas fábricas de Nuremberg, Salzgitter e Wittlich, na Alemanha.

Com a guerra, os fabricantes de componentes elétricos ucranianos não conseguem produzir, ou tem sua produção extremamente limitada. A MAN destaca que o problema está causando uma perda de produção de caminhões há várias semanas e uma redução maciça na produção no segundo trimestre também deve ocorrer. A produção de ônibus da MAN não está sendo significativamente afetada.

“Devido à situação dramática, o Conselho Executivo da MAN Truck & Bus SE imediatamente tomou medidas para lidar com a situação. Imediatamente após o início da guerra, entre outras coisas, começamos a duplicar as estruturas de fornecimento ucranianas para chicotes elétricos de caminhões em outros países. No entanto, isso leva vários meses. Além disso, decidimos interromper totalmente os gastos em atividades não críticas para os negócios e, até novo aviso, congelar as contratações. O trabalho de curta duração foi prolongado para as fábricas de Munique, Nuremberg, Salzgitter e Wittlich e também alargado à administração, o que significa que até 11.000 funcionários da MAN na Alemanha irão trabalhar em horário reduzido. Os regulamentos específicos de cada país aplicam-se aos funcionários no exterior. Como sinal de solidariedade com os trabalhadores, o Conselho Executivo também renunciará significativamente ao salário nos próximos três meses devido ao desenvolvimento dramático”, explica Alexander Vlaskamp, ​​CEO da MAN Truck & Bus.

Como a empresa não consegue cumprir os prazos de entrega acordados devido aos problemas atuais, a MAN ofereceu aos seus clientes a possibilidade de cancelamento dos pedidos. Ao mesmo tempo, eles têm a oportunidade de fazer novos pedidos, com novas condições de pagamento e com novas datas para entrega dos caminhões.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

Ford AA Konings Siam – O curioso caminhão duplo da década de 1930 Conheça a rodovia mais longa do Brasil Velho caminhão americano é transformado em carro de passeio muito estiloso Você sabia que o 1° FNM produzido no Brasil era bicudo Conheça os coloridos caminhões do Paquistão