Volvo FMX 460 6×4 ganha versão de controle remoto no Brasil

Três grandes empresas se uniram para o desenvolvimento de uma tecnologia inédita para o setor de infraestrutura no Brasil. Andrade Gutierrez, Volvo e ACR desenvolveram o caminhão 4.ZERO, um veículo protótipo, que poderá ser usado em operações de construção e mineração, que é controlado remotamente.

O caminhão basculante é diferente de outros equipamentos não tripulados disponíveis atualmente no mercado, ao combinar um sistema de direção de alta tecnologia a uma mecânica integrada e conectada à rede inteligente. Na cabine de operação, o controlador pode comandar o equipamento a até 2 km de distância por meio de um rádio controle com acionamento por joystick.

Custando cerca de R$ 1 milhão, o caminhão tem tração 6×4 e capacidade para 42 toneladas. O volvo FMX 460 também conta com sistema de direção VDS (Volvo Dynamic Steering), uma tecnologia que traz diversas funcionalidades. Já o rádio controle é desenvolvido pela HBC Radiomatic, empresa alemã líder mundial em sistemas de transmissão via rádio, comercializado exclusivamente pela ACR no Brasil. A operação fica por conta da Andrade Gutierrez, que consolidou o projeto com as empresas parceiras para trazer mais segurança e qualidade em suas entregas nas áreas de mineração, como obras de descomissionamento de barragens, e de construção pesada.

Uso em áreas de risco

O caminhão será usado em obras que ofereçam maior risco à segurança em suas atividades e é importante para agilizar e qualificar entregas em projetos estratégicos para a economia do país, como descomissionamento de barreiras e escavações pesadas. Uma das vantagens é que ele permite a alternância imediata entre operação tripulada ou remota, mantendo todas as funcionalidades e sem nenhuma necessidade de adequações mecânicas.

No modo não tripulado, o caminhão só pode ser operado em áreas confinadas, sem pedestres. Outra característica relevante é que o operador pode ajustar os modos de direção – rápida ou lenta – conforme a sensibilidade necessária. Além disso, a caixa de câmbio automatizada da Volvo (I-Shift) facilita a condução remota, aumenta a capacidade de tração e garante mais segurança.

“Este é mais um projeto que surge da determinação da AG de entregar serviços de excelência ao mercado brasileiro de infraestrutura e mineração. Apoiados na Engenharia 4.0, estamos sempre buscando soluções inovadoras e identificamos uma grande oportunidade para contribuir com o desenvolvimento do setor. O uso desse caminhão em nossos serviços nos levará a melhores resultados em operações de transporte de materiais, diminuindo o risco e trazendo confiabilidade e segurança”, destaca o presidente da Andrade Gutierrez Engenharia, João Martins.

“É o primeiro caminhão que sai direto da linha de produção preparado para atuar via controle remoto. O grande salto tecnológico desta solução está no VDS (Volvo Dynamic Steering), um avançadíssimo sistema de direção criado pela marca, que é totalmente integrado ao veículo e controla a condução com alta precisão. Não é preciso instalar sensores ou atuadores paralelos. Motor, transmissão, freios, direção VDS, tudo é original, o que garante mais segurança e disponibilidade ao veículo”, afirma Jeseniel Valério, gerente de engenharia de vendas da Volvo.

“Somos gratos por esta parceria bem-sucedida com a VOLVO e AG. Participar deste projeto 4.0 me fez lembrar o início da história da ACR, há mais de 20 anos, onde iniciamos nossas atividades com um foco bastante definido: fornecer soluções confiáveis e robustas para operações remotas. São quase mil novos sistemas fornecidos a cada ano, mas esta demanda do caminhão FMX merece destaque especial em nossa trajetória, pois conseguimos entregar com excelência uma solução exclusiva e inovadora com o DNA da ACR. Não há nenhuma solução como a nossa disponível no mercado”, ressalta o diretor técnico/comercial da ACR, Abraão Pires.

Fora da área de operação, o controlador pode comandar todas as ações do caminhão, como partida do motor, direção, trocas de marcha e frenagem. Em um display de última geração é possível acompanhar a atividade em tempo real. Ao todo, são disponibilizadas 20 informações na tela, entre dados do painel do caminhão, informações do basculamento e alertas (luminosos, sonoros e de vibração) para garantir a segurança da operação.

Além disso, sete câmeras do tipo veicular e um microfone de alta sensibilidade são capazes de transmitir com qualidade todos os movimentos e sons presentes na cabine do caminhão.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia Você lembra do seriado “As Aventuras de BJ” nos anos 1980? Caminhões chineses são equipados com cabine de modelo da década de 1970 Conheça o transporte Piggyback, muito usado nos Estados Unidos