Caminhão militar aposentado é transformado em guincho de luxo

Os caminhões militares Oshkosh HET, sigla que significa Heavy Equipment Transporter ou Transportador de Equipamento Pesado, são vendidos às centenas para diversos exércitos do mundo, como dos Estados Unidos e Reino Unido, e são usado em operações militares ao redor de todo o planeta.

O bruto é equipado com um motor Caterpillar C18 de 6 cilindros em linha, com 18,1 litros de cilindrada, que tem 700 cavalos de potência e torque de 3.000 Nm. A transmissão é uma Allison 4800SP automática, e o caminhão usa uma caixa de transferência fabricada pela própria Oshkosh, garantindo tração em todas as rodas.

Por ser um caminhão militar, ele é desenvolvido para ser o mais simples e prático possível, o que faz com que o caminhão tenha um interior pra lá de espartano, sem nenhum luxo. E todos os anos, dezenas de unidades desses caminhões que se aposentam do serviço militar são vendidas em leilões.

Boa parte desses caminhões leiloados está em situação bem ruim, e seguem para desmanche e reciclagem. Mas alguns tem sorte de saírem inteiros, podendo seguir sendo usados. É o caso de um HET adquirido pela Crouch Recovery, uma empresa de guinchos do Reino Unido.

Eles operam desde 1948, e tem uma frota variada, com diversos modelos diferentes. Entre eles, pelo menos dois Oshkosh, sendo um cavalo mecânico e outro equipado com um sistema de guindaste.

Essa segunda unidade recebeu pintura especial e até nome: King Kosh. São quatro eixos, e um sistema de guindaste que já era usado quando o caminhão operava no exército britânico.

Mas o mais interessante ficou para o interior. O caminhão recebeu uma repaginada completa na parte interna, com acabamento digno dos caminhões mais luxuosos da Europa.

O trabalho ficou a cargo da empresa TranzTech Ltd, especializada em acabamentos e acessórios.

Todo o interior foi recoberto com couro bege e marrom, com o espaço traseiro da cabine recebendo quatro assentos com apoios de braços, cintos de segurança retráteis, equipamento de som de alta qualidade, forração no teto, e, como último detalhe, o assento do motorista, que recebeu um padrão de costura em diamante e o bordado com o nome da empresa.

Além da melhora visual, o acabamento interno melhorou o isolamento acústico e térmico da cabine, que praticamente não existia.

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Conheça o NIKOLA TRE movido a hidrogênio Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal