Seguro de transporte rodoviário de carga – Negativas perpetradas pelas seguradoras

O número não só de sinistros relacionados ao transporte rodoviário de cargas, bem como, as negativas perpetradas pelas companhias seguradoras têm crescido de maneira alarmante e vertiginosa, o que tem gerado uma enorme preocupação e diversas dúvidas por parte das empresas e motoristas de caminhão que laboram neste ramo de atividade.

Os contratos de seguro têm se tornado a cada dia mais complicados e com regras cada vez mais rígidas impondo aos Segurados uma série de exigências, as quais em alguns casos são abusivas ou até mesmo impraticáveis, facilitando que as seguradoras no momento da ocorrência do sinistro negativem o pedido de indenização.

Neste interim, importante que o segurado atente para algumas questões sobre a ocorrência de sinistros com cargas objetivando esclarecer parte das dúvidas dos empresários que trabalham neste tão importante ramo de atividade para a economia do país, senão vejamos:

Quais são os procedimentos em caso de sinistro?

A primeira providência é comunicar imediatamente o ocorrido à seguradora, fornecendo os dados, documentos e informações para a comprovação do sinistro.

Quando é reconhecida a perda total da carga segurada?

A perda total é dada quando o prejuízo a ser indenizado é igual ou superior a 75% do valor declarado na fatura comercial ou em documento equivalente. Na falta de comprovação, o custo será o valor segurado no local e data do embarque.

A seguradora pode se recusar a pagar a indenização dos prejuízos?

Sim, pode ocorrer em casos bem particulares, tais como:

  • Quando o segurado agravar intencionalmente o risco coberto;
  • Sinistro for, comprovadamente, causado por atos ilícitos ou culpa grave equiparável ao dolo (má-fé) do segurado ou do beneficiário do seguro;
  • Houver declarações falsas ou omissão de informações que resultariam em custo maior do seguro ou até na sua não-aceitação por parte da seguradora.
  • Recusa do segurado em apresentar documentação imprescindível pela seguradora para esclarecer dúvidas em relação ao sinistro;
  • Existir negligência na preservação dos bens e mercadorias que tenham sofrido danos ou perdas e falta de cuidado na redução dos prejuízos.

Qual o prazo para a seguradora pagar a indenização?

Depois que toda a documentação solicitada for entregue, a seguradora tem o prazo máximo de 30 dias para pagar a indenização.

A vistoria é exigida para qualquer sinistro?

A vistoria para apurar o montante das perdas e danos causados à carga é obrigatória. A verificação deve ser feita sempre em conjunto com o representante da seguradora, do transportador e da entidade responsável pela guarda ou custódia das mercadorias e bens.

Em casos de negativas de pagamento da indenização securitária procure sempre um profissional gabaritado e especialista nesta matéria para que possa avaliar a legalidade da negativa e lhe orientar sobre as medidas legais a serem tomadas, evitando assim grandes prejuízos.

Artigo escrito pelo Advogado Dr. Gustavo de Camargo Hermann, OAB/PR 37.853, especialista em direito securitário e acidentes de trânsito.

Deixe um comentário!

Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos