Ministério dos Transportes terá plano de 100 dias com retomada de obras e ampliação de parcerias privadas

Retomar as obras paradas por faltas de recursos, analisar os contratos dos 15 mil quilômetros de rodovias concedidas e ampliar a participação do setor privado estão entres as prioridades destacadas pelo novo ministro dos Transportes, Renan Filho. Durante a cerimônia de transmissão de cargo nesta terça-feira (3), em Brasília, ele adiantou que vai apresentar um plano de ação para os primeiros 100 dias de administração.

Criada a partir do desmembramento do extinto Ministério da Infraestrutura, a pasta dos Transportes terá três secretarias nacionais: Transporte Rodoviário; Transporte Ferroviário; e de Trânsito. Ficam vinculadas como autarquias o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O MT ainda comanda dois órgãos colegiados: a Comissão Nacional das Autoridades de Transportes Terrestres (Conatt) e o Conselho Nacional de Trânsito – Contran (Contran). “Em 15 dias, pretendo apresentar um plano de ação para os próximos 100 dias à frente deste Ministério. Antecipo que vamos solucionar dificuldades orçamentárias encontradas até aqui, não apenas para um ano, mas de forma sustentável”, ressaltou.

Entre as competências do ministério estão a política nacional de transportes ferroviário e rodoviário; a política nacional de trânsito; participação no planejamento estratégico, no estabelecimento de diretrizes para sua implementação e na definição das prioridades dos programas de investimentos em transportes ferroviário e rodoviário, em articulação com o Ministério de Portos e Aeroportos, também criada do desmembramento da pasta da Infraestrutura.

Ampliação

Segundo o ministro, outras metas são ampliar a participação das ferrovias na matriz de transportes, colocar a segurança viária como prioridade e investir com critério nas áreas mais necessitadas, dando a atenção necessária aos estados com a malha viária mais depreciada. “Vamos modernizar a logística nacional, reduzindo custos e contribuindo para o setor produtivo (…) O Ministério dos Transportes se guiará pelas melhores práticas de Governança, pela preocupação com o aspecto social e pelo respeito ao meio ambiente”, disse.

A cerimônia de posse do novo ministro de Transportes contou com as presenças da ministra de Planejamento, Simone Tebet; do ministro das Cidades, Jader Filho; do ministro emérito da Infraestrutura, Marcelo Sampaio; do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas; do ex-presidente da República, José Sarney; do governador de Alagoas, Paulo Dantas, do governador do Maranhão, Carlos Brandão; além de lideranças parlamentares, senadores, deputados, representantes de agências de transportes rodoviários e ferroviários, empresários e servidores públicos.

Formado em Economia pela Universidade de Brasília (UnB), Renan Filho é alagoano de Murici, casado com a administradora Renata Calheiros e pai de dois filhos. Em sua carreira política, foi prefeito de Murici por dois mandatos, deputado federal e governou Alagoas entre 2015 e 2022. Nas últimas eleições, foi eleito senador com mais de 845 mil votos. Como governador, foi responsável pelo avanço na infraestrutura de transportes e logísticas, que deu a Alagoas o 1º lugar no ranking de melhores estradas da Confederação Nacional dos Transportes (CNT).

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Conheça o NIKOLA TRE movido a hidrogênio Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal