Acidente no Rio de Janeiro seria evitado com instalação de sistema de segurança




Um caminhão que trafegava com a caçamba levantada atingiu uma passarela na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro, no último dia 24. Com a força do impacto, a passarela caiu e esmagou o caminhão. O motorista chegou a receber ajuda dos bombeiros, mas não resistiu e acabou falecendo ainda preso dentro da cabine. Um pedestre que estava passando na passarela no momento do acidente também se feriu, mas sem gravidade.

Esse acidente teria sido evitado se o sistema de segurança obrigatório para caminhões basculantes desde o dia 1º de Janeiro estivesse instalado nesse caminhão. O sistema consiste em dois ou três sistemas, que impedem e sinalizam o levantamento involuntário da caixa de carga.

A Resolução 563/2015 do Contran foi publicada após um grave acidente, também ocorrido no Rio de Janeiro, com várias mortes e carros esmagados. A tomada de força do pistão de levantamento da caçamba, caso não seja desligada após a descarga, faz com que a caçamba suba lentamente. Muitas vezes o motorista não percebe o movimento do implemento e continua rodando.

Essa resolução determina a adoção obrigatória de um sistema duplo de segurança, que avisa e evita que a caçamba seja levantada com o caminhão em movimento. Em geral, as caçambas sobem sozinhas porque a tomada-de-força do câmbio não é desligada após o basculamento, e faz com que a caçamba suba lentamente com o caminhão rodando.

LEIA MAIS  Dispensa de caminhoneiro antes de cirurgia bariátrica não foi discriminatória
Acidente ocorrido em 2015 no Rio de Janeiro

A resolução do Contran obriga a instalação de pelo menos dois tipos de sistemas de segurança. São três tipos de dispositivos diferentes, que poderão ser combinados de duas formas diferentes. A legislação prevê o uso Tipo A (primário e secundário) ou tipo B (primário e terciário). Não é obrigatório ter os três sistemas no caminhão.

O dispositivo de segurança primário garante que o acionamento da tomada-de-força só aconteça a partir de dois comandos ou de um comando de dois estágios. O secundário dá um aviso visual e sonoro para alertar o operador. E o terciário é um sistema eletrônico que limita a velocidade do veículo a 10 km/h quando a tomada de força estiver ligada.

Caminhões novos, fabricados desde Janeiro de 2017 já são obrigados à sair de fábrica com o sistema. Para caminhões fabricados antes de 2017, a instalação passou a ser obrigatória a partir de Janeiro de 2018. A comprovação será na inspeção para obtenção do CSV – Certificado de Segurança Veicular, feito nas empresas credenciadas pelo Inmetro.

LEIA MAIS  Letsara Transportes e Logística tem vagas para motoristas rodotrem no Rio Grande do Sul

“A exigência do CSV foi adiada para 1º de janeiro de 2018 porque o sistema de controle SIS-CSV do Denatran/Serpro precisa contemplar essa exigência para basculantes, mas os kits já podem ser adquiridos e instalados nas oficinas mecânicas”, explica o presidente da Associação Paranaense dos Organismos de Inspeção Acreditados, Everton Pedroso.

O kit de instalação pode custar entre R$ 500 e R$ 1.000, dependendo do local de instalação e do tipo do kit a ser instalado.




4 comentários em “Acidente no Rio de Janeiro seria evitado com instalação de sistema de segurança

Deixe sua opinião sobre o assunto!