Ferrovias podem absorver o crescimento da safra de grãos previsto para os próximos anos

O modal ferroviário já realiza o transporte de mais de 40% dos granéis sólidos agrícolas que chegam aos portos, de acordo com dados da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). O índice é ainda mais expressivo quando se trata de açúcar e ultrapassa 50% de representatividade.

O papel do setor deve ser ainda mais importante nos próximos anos. Isso porque, em menos de uma década, o Brasil deve produzir 68,6 milhões de toneladas a mais de grãos, saltando das estimadas 233,4 milhões de toneladas da safra atual para cerca de 302 milhões toneladas na safra 2027/2028, um aumento de quase 30% no total. A estimativa faz parte do estudo Projeções do Agronegócio, que contabiliza as safras anuais até 2027/28. A pesquisa foi produzida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e divulgada no ano passado.

Grãos nos trens

Com a renovação de cinco concessões, a ANTF espera investimentos de mais de R$ 25 bilhões, que impactarão no aumento da produtividade e, consequentemente, na elevação do volume de carga transportada. Além disso, o Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do governo federal prevê que haverá leilões de três ferrovias: tramo central da Ferrovia Norte-Sul, Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e da Ferrogrão. As três ferrovias devem transportar granéis agrícolas, com destaque para a Ferrogrão.

A EF-170, também chamada de Ferrogrão, visa consolidar o novo corredor ferroviário de exportação pelo Arco Norte do Brasil. No primeiro ano de operação, prevê-se que a demanda total de carga alocada da ferrovia alcance 13 milhões de toneladas, número que poderá chegar a 42 milhões de toneladas, em 2050. Levantamentos setoriais indicam que a estimativa dos empresários locais é de escoar até 20 milhões de toneladas de grãos do Mato Grosso pelos portos da Bacia Amazônica.

21 .ª NT EXPO

Nesse contexto de investimentos no setor ferroviário, a 21.ª NT Expo, principal encontro de negócios do setor de transporte metroferroviário da América Latina, será uma vitrine de fornecedores de produtos e serviços para as concessionárias. A Pandrol South America, por exemplo, apresentará, entre outros produtos, a solução Under Sleeper Pad (USP), que é uma palmilha de borracha aplicada sob os dormentes para fornecer maior e duradoura elasticidade da via enquanto aumenta a superfície de contato do dormente. Dessa maneira, é ampliada a vida útil do lastro, retardando a sua compactação, e por consequência a dos outros componentes da via, tanto em linhas de passageiros como de carga. Assim, as USPs ajudam a distribuir a carga de forma mais uniforme na via, o que influencia positivamente as compensações diferenciadas, as cargas de impactos e, portanto, promove o prolongamento do ciclo de vida da via.

“Teremos grandes projetos em 2019. Isso explica o grande interesse dos fornecedores na participação da 21.ª NT Expo, que será uma plataforma de negócios”, destaca a gerente geral do portfólio de infraestrutura da Informa Exhibitions, organizadora do evento, Márcia Gonçalves. Segundo a executiva, desde dezembro, os espaços da feira estavam 100% comercializados.

QUER RECEBER NOSSOS CONTEÚDOS NO SEU WHATSAPP?
MANDE UMA MENSAGEM COM SEU NOME CLICANDO NO NÚMERO

042-98800-6519





RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL

Seu e-mail (obrigatório)


Deixe sua opinião sobre o assunto!