Projeto de lei pode acabar com veículos a diesel no Brasil em 2060




O aumento da pressão por soluções amigáveis ao meio-ambiente pode dar fim ao uso de combustíveis fósseis, como diesel e gasolina. O projeto de lei 454/2017, do Senador Telmário Mota (PTB/RR), pode proibir totalmente a fabricação de veículos a diesel a partir de 2060.

O projeto será discutido hoje, na Comissão de Meio Ambiente (CMA), que realizará audiência pública às 14h, na Sala 13 do Senado Federal.

O projeto prevê uma redução gradativa na produção de veículos de combustão interna, movidos a combustíveis fósseis. Se o projeto for aprovado, obrigará a redução a fabricação destes veículos a partir de 2030, quando 10% do total de veículos fabricados deverão ser movidos a combustíveis alternativos.

O percentual de produção de veículos com combustão interna e combustíveis fósseis, passará para 70% em 2040 e para 10% em 2050. E em 2060 a proibição será total.

Os motores com combustão interna continuarão permitidos, desde que sejam usados biocombustíveis em sua ignição.

Para o Senador Telmário Mota, restringir a venda de veículos movidos a combustíveis fósseis é uma das medidas necessárias para reduzir o aquecimento global causado pelas diversas atividades humanas.

Além disso, a medida deve reduzir doenças causadas pela poluição atmosférica, especialmente em crianças e idosos, nos grandes centros urbanos. “Devemos lembrar que o Brasil possui uma produção de eletricidade relativamente limpa e a troca dos veículos movidos a combustíveis fósseis por veículos elétricos, nesse contexto, será ambientalmente vantajosa”, afirma Telmário.





3 comentários em “Projeto de lei pode acabar com veículos a diesel no Brasil em 2060

  • 08/10/2019 em 13:52
    Permalink

    Vou compara uma carroça de burros, não gasta nem diesel nem eletricidade e pode-se abastecer na bira da estrada desde que tenha capim..
    Eita turma de imprestáveis esse políticos, quando não tem nada para fazer deveriam ficar em casa economizando gastos com trasportes e alimentação, etc do dinheiro dos impostos que saem dos nossos bolsos.
    Ainda sonho em ver reduzido para 1/3 o numero de deputados e senadores…

    Resposta
  • 07/10/2019 em 16:40
    Permalink

    Primeiramente coloca o sr deputado sentado com o bumbum no caminhao a dois mil quilometros longr de casa ai ele vai saber o que a necessidade de nao ficar na rua da amargura por favor venha ser motorista primeiro para depoia opinar na profissao.

    Resposta
  • 07/10/2019 em 15:49
    Permalink

    Elétricos não tem robustez nenhuma. Baterias que vazam e pegam fogo em dias quentes, quando é necessário usar muita força para passar por atoleiros, por exemplo, a autonomia vai pro saco rapidinho e o motora fica na estrada.
    Não pode nem pensar em passar numa área alagada até a metade da altura das rodas que dá PERDA TOTAL por curto circuito nas baterias e cabos. Uns LIXOS!

    Biocombustíveis são muito mais confiáveis e ecologicamente corretos. Deveria ser criado um Fundo de Investimentos voltados apenas à engenharia de pesquisa para biocombustíveis, aumento da produção e inserção de outros biocombustíveis no mercado.

    Vou CORRER desses elétricos fracos e buscar outra alternativa confiável e que não emite poluentes, assim como os Ecoxinhas mundiais querem!

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!