BNDES Finame deixa de ser a principal forma de compra de caminhões no país

por Blog do Caminhoneiro

O BNDES Finame já foi o financiamento mais usado para compra de veículos comerciais no Brasil. No início desta década, as taxas de juros muito baixas e longos prazos para pagamento facilitaram a compra de milhares de caminhões no país. Porém, com o aquecimento da economia, redução da inflação, queda da Taxa Selic, que baliza os juros para empréstimos, e maior oferta de crédito privado, o BNDES Finame deixou de ser tão procurado.

Na Scania, que vendeu entre janeiro e outubro vendeu mais de 11 mil caminhões, tem mais de 60% dos caminhões vendidos pelo próprio banco, o Scania Banco, que está comemorando 10 anos em 2019, e também por meio de financiamento por outros bancos.

Para a montadora, o BNDES Finame registra cerca de 30% do total de vendas de caminhões no Brasil. Além dos financiamentos, a montadora ainda registra um alto número de vendas à vista, cerca de 15% e também por consórcios, com mais de R$ 100 milhões em negócios.

Neste ano, o Scania Banco deve registrar mais de 5 mil negociações. “Com cerca de 5.000 negócios vamos ter alta de 25% em 2019 sobre 2018. Para os próximos três anos a expectativa é de continuar crescendo”, revela Simone Montagna, Presidente do Scania Banco.

“Os fatores que nos levam a esta projeção otimista são a confiança no potencial do Brasil, as acertadas ações comerciais que estamos colocando em prática, a solidez da nossa carteira, o fortalecimento da parceria com a rede de concessionárias Scania, o sucesso da Nova Geração de caminhões da marca e o aumento do nosso portfólio e da digitalização de nossos processos como entrega de valor real no dia a dia do cliente”, completa o executivo.

Para a Mercedes-Benz, que vendeu mais de 26 mil caminhões até outubro, o percentual de negócios com o BNDES Finame é ainda menor. A montadora alemã registra cerca de 90% dos financiamentos realizados via Crédito Direto ao Consumidor, que estão com taxas de juros altamente competitivas, e também têm mais agilidade na contratação do que o BNDES Finame.

Entre o total de financiamentos, mais de 40% do total é feito diretamente pelo Banco Mercedes-Benz, que atua em soluções de crédito diretamente com os clientes. Hoje, o Banco Mercedes-Benz é o maior financiador de caminhões da marca no Brasil, como ressalta Diego Marin, Diretor Comercial do Banco MB:

“Somos o maior financiador de caminhões Mercedes-Benz do país graças à nossa expertise na marca, soluções digitais e também por oferecermos um portfólio de produtos completo voltado às necessidades dos nossos clientes, com CDC, Finame e Leasing. Além disso, lançamos recentemente, na Fenatran, duas novas soluções financeiras para ampliar a oferta de produtos aos nossos clientes de veículos comerciais: o CDC Flexibility e o CDC Decrescente”.

O CDC Flexibility permite a compra de caminhões Atego e Accelo da montadora, Zero KM, e também usados da SelectTrucks, com entrada menor e parcelas baixas. Ao final do contrato, o cliente pode, se o caminhão se enquadrar em alguns requisitos, vender seu caminhão à SelectTrucks novamente.

Já o CDC Decrescente tem parcelas que vão sendo reduzidas a cada mês. No fim do contrato, a taxa de juros fica menor do que em um financiamento tradicional.

Para a Mercedes-Benz, as vendas à vista correspondem a 25% do total de negócios.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

2 comentários

Anesio Ferreira de Abreu 12/11/2019 - 10:43

Tem financiamento para o primeiro caminhão com uma entrada bem pequena,e que tenha carência!!

Reply
Amilton Brito Ferreira 12/11/2019 - 07:18

Este é o verdadeiro fomento a economia, e dizem os indicadores que quando as montadoras de caminhões estão com a produção em alta, a Economia está sinalizando para o devido aquecimento!

Reply

Escreva um comentário