ZERO KM – Mercedes-Benz L-1318 fabricado em 1988 está à venda no Rio de Janeiro

O Blog do Caminhoneiro já falou sobre esse caminhão há alguns anos. Se trata de um caminhão fabricado em 1988, que está novo, apesar de passados 33 anos. Conversamos com o atual proprietário do caminhão, Marcelo da Costa Rodrigues, do Rio de Janeiro.

LEIA MAIS: Mercedes-Benz 1318 ano 1988 zero KM em 2015

Ele nos contou que o primeiro proprietário do caminhão, Manoel Leonardo, dono de uma transportadora e falecido em 1998, possuía diversos caminhões novos parados em sua empresa, que serviam como investimento, devido à forte desvalorização da moeda corrente na época com a inflação.

Marcelo contou que na época do falecimento dele, ainda haviam diversos caminhões novos parados no pátio da empresa, a Transportadora Leonardo, que se tornaram conhecidos por todos que gostavam de caminhões da região.

O atual proprietário nos disse que os caminhões parados na empresa não eram vendidos, e ficavam parados por muitos anos, até que um mais antigo era colocado à venda e substituído por um modelo “novo”, mas que estava guardado há vários anos. Muitos caminhões, mesmo parados, recebiam acessórios e equipamentos, como pneus novos, luzes nos parachoques, e outros, esperando chegar a vez de ir para a estrada.

Após o falecimento do proprietário da empresa, os caminhões foram sendo vendidos, e esse Mercedes-Benz L-1318 era o último veículo Zero KM parado no local, em 2009. Após negociação, Marcelo conseguiu comprar o veículo, e decidiu que seria melhor manter o caminhão no mesmo estado em que se encontrava, sem rodar, até o dia de hoje.

De acordo com Marcelo, após a compra, o veículo precisou passar por restauração no chassi e nas rodas, que apresentavam desgaste devido ao tempo em que o veículo estava parado, dentro de um galpão. Para manter o melhor aspecto, o serviço foi feito com as peças desmontadas, para evitar sujar outros componentes com tinta ou qualquer coisa do tipo, e o trabalho foi feito respeitando o padrão original da época.

O proprietário atual conta que o caminhão mantém tanta originalidade, que possuí um papel de orientações da fabricante dos vidros na porta do passageiro, que está intacto, denotando que o vidro possivelmente nunca foi aberto. O hodômetro marca apenas 397 quilômetros rodados.

Marcelo é o terceiro dono do caminhão, já que, após a morte do proprietário original, o veículo foi transferido em inventário para o filho dele, que é médico, e, após isso, comprado pelo proprietário atual. Também por conta da transferência, o caminhão precisou ser emplacado.

Há cerca de seis anos, houveram propostas para compra do veículo, sendo uma delas de um colecionador da Região Sul, mas, na época, não havia interesse no negócio. Hoje, por motivos pessoais, o caminhão foi colocado à venda.

Voltado para colecionadores, o caminhão mantém todos os detalhes de quando foi fabricado, há 33 anos, sem nenhum detalhe fora do padrão original, mantendo até os pneus originais de fábrica.

Para manter o motor funcionando normalmente, o caminhão é abastecido com um óleo combustível especial, sem adição de biodiesel, apenas para manter o veículo pronto para funcionar, sem necessidade de nenhuma manutenção extra.

O caminhão está anunciado no site da Grande Rio Caminhões, do nosso amigo João Macedo, no link http://www.granderiocaminhoes.com.br/11/DetalhesVeiculo.aspx?&veiculo=889517, e o preço pedido é de R$ 465.000,00.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia Você lembra do seriado “As Aventuras de BJ” nos anos 1980? Caminhões chineses são equipados com cabine de modelo da década de 1970 Conheça o transporte Piggyback, muito usado nos Estados Unidos