Scania mantém férias coletivas por falta de componentes

por Blog do Caminhoneiro

A Scania decidiu manter as férias coletivas da fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo, por mais uma semana. O retorno dos trabalhadores, previsto para o próximo dia 31 de dezembro, foi adiado para 07 de fevereiro.

A Scania iniciou as férias coletivas no dia 27 de dezembro, devido à falta de componentes para produção, especialmente semicondutores, que impede que os caminhões sejam finalizados.

A montadora informa que tem trabalhado junto com fornecedores para manter as entregas de peças para produção, e que mantém seu compromisso com as entregas programadas para os clientes.

Nota da montadora

Na última quarta-feira, dia 19/01, a Scania comunicou aos seus colaboradores a ampliação das Férias Coletivas e a parada de produção em sua Operação Industrial em São Bernardo do Campo (SP). Com isso, o retorno programado para o próximo dia 31 de janeiro, será no dia 7 de fevereiro. A decisão acontece em virtude do cenário da crise global de semicondutores.

A Scania informa ainda que segue tomando todas as medidas necessárias para voltar à situação normal em curto espaço de tempo, sempre alinhada com seus fornecedores e comprometida com as entregas para os clientes em primeiro lugar. A unidade comercial e a rede de concessionárias seguirão trabalhando normalmente.

Falta de chips

Os semicondutores são a base de circuitos integrados, como sistemas de controle do motor, câmbio, e até levantamento de vidros elétricos. Iniciada em 2020, com a pandemia de coronavírus, a crise se mantém até hoje.

Com o aumento da demanda por veículos no mundo todo, e as ondas da pandemia, que vem e vão sobre os países que produzem esses pequenos componentes, causando paradas temporárias nas fábricas, as entregas dos semicondutores tem atrasado para quase todas as montadoras.

A Anfavea prevê que o problema só seja definitivamente resolvido a partir do segundo semestre de 2022.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!